Publicidade
Desfilando

Descubra os caminhos das rotas da moda paranaense que fazem sucesso no País

(Foto: Edson Denobi/PMA)

Apucarana
Apucarana é uma das mais importantes cidades do Norte do Paraná. E é também um grande polo de confecções, com destaque para a produção de bonés, o que lhe deu o título de Capital do Boné. Tem até um dia comemorativo, 31 de janeiro. Construído em comemoração ao Dia Municipal do Boné, a entrada da cidade tem um monumento estilizado, que tem por objetivo divulgar um dos maiores potenciais do município, que é a produção do acessório. Moldado em concreto por um artista plástico, a réplica do boné é, segundo registro, a maior confeccionada até hoje no mundo. A cidade tem ainda muitos outros atrativos, como a história do café.


(Foto: Prefeitura de Cianorte)

Cianorte
Onde moda e natureza se encontram. Cianorte, no noroeste do Estado, é dona de uma das maiores florestas urbanas do país, com 523 hectares, oferece espaços para trilhas e caminhadas, além de cachoeiras e rios, na área rural. Com pouco mais de 60 anos, a cidade que possui cerca de 81 mil habitantes, também é destaque na economia. Concentra um polo industrial forte e diversificado, com relevância nacional no segmento da confecção, que lhe garante o título de Capital do Vestuário. Duas vezes por ano a cidade se torna palco de uma das maiores feiras do vestuário do país. Nelas, são lançadas as coleções primavera/verão e outono/inverno. Lojistas do país e do exterior buscam nas passarelas e vitrines as últimas tendências da moda.


(Foto: Prefeitura de Francisco Beltrão)

Sudoeste
Outra região com forte vocação na área têxtil e de confecção, o Sudoeste do Paraná, onde se concentram cerca de 400 indústrias de confecção, em 32 dos 42 municípios que compõem a região. Francisco Beltrão, Santo Antônio do Sudoeste, Chopinzinho e Dois Vizinhos, são alguns exemplos. Mas, muito além de ser um polo de confecções, a região Sudoeste tem muita história e cultura, dada a sua colonização e a localização, com cenários de natureza (Chopinzinho, por eemplo, tem a maior reserva natural de araucárias do mundo), gastronomia farta e festas ao longo do ano. Pato Branco tem uma das principais paradas de Natal do Estado.


(Foto: Reprodução/Femali)

Imbituva
Imbituva é famosa pela sua Feira de Malhas, que já atingiu a 35ª edição. O evento é considerado a maior feira da moda tricot do Paraná, e acontece normalmente pouco antes do inverno, em abril e maio. As malharias da cidade são consideradas referência na moda tricot. Apesar de ser uma pequena cidade, a Feira de Malhas atrai milhares de visitantes todos os anos. No ano passado foram cerca de 60 mil visitantes do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso, que fizeram mais de 223 mil compras, movimentando o município economicante. São mais de 50 empresas do ramo têxtil, que também vêm diversificando seus produtos. Por tudo isso, é carinhosamente chamada de “Cidade das Malhas”.


(Foto: José Fernando Ogura / Acervo EPR)

Maringá
Maringá é uma das poucas cidades do Brasil que consegue conciliar crescimento econômico e preservação ambiental. Planejada, com avenidas largas, ampla área verde e excelente nível de qualidade de vida, a cidade encanta quem a visita. Outra característica é sua vocação econômica, sendo atualmente um grande polo de atacadistas de moda. São mais de 500 lojas com este perfil. Além desta estrutura atacadista, Maringá realiza grandes eventos com desfiles de lançamentos de coleções em seus centros de compras. A cidade ainda se destaca no campo. A Expoingá é uma feira agropecuária, industrial e comercial que atrai centenas de milhares de pessoas com shows musicais, rodeio e, é claro, fomenta o turismo de negócios.


(Foto: Prefeitura de Terra Roxa)

Terra Roxa
Embora a economia da cidade seja pautada na agricultura, Terra Roxa se destaca também no ramo têxtil, sendo reconhecida como o Polo Nacional do Vestuário Infantil. Cerca de 50 empresas atuam nesse segmento, produzindo aproximadamente 500 mil peças por mês. Tais produtos são destaque na tradicional Feira Moda Bebê, que acontece anualmente nos meses de junho e novembro. Com número de visitantes crescente a cada edição, o evento ganhou fama e relevância para a área, fato que deu a cidade o título de Capital Nacional da Moda Bebê. Além disso, o turismo religioso também tem destaque. Os templos da cidade são locais propícios para refletir e buscar refúgio espiritual. Visitá-los é também se familiarizar com a cultura local.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES