Publicidade
Efeito colateral

Desde o início da pandemia, migração para a escola pública aumenta no Paraná, e preocupa Secretaria

(Foto: Franklin de Freitas/Arquivo Bem Paraná)

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte do Paraná (Seed-PR) está preocupada com a saída de alunos de escolas particulares por causa da crise do novo coronavírus. Com crise financeira, algumas famílias retiraram os filhos das escolas particulares, sem matricular em outro estabelecimento de ensino, deixando eles sem ensino. Para acolher estas famílias, a Seed reforçou o trabalho nos núcleos regionais, que estão divulgando uma nova ferramenta online para ajudar as famílias que desejam transferir os alunos para o ensino público.

Desde o início da pandemia, cerca 7 mil alunos migram do ensino privado para o público, de acordo com levantamento da Seed. No entanto, a Secretaria tem percebido uma dificuldade dos pais em fazerem as matrículas dos alunos, em função que as escolas estão funcionando em tempos diferentes, durante o período de pandemia.

Para facilitar o acesso aos pais de alunos de escolas particulares, foi criada uma ferramenta online que permite antecipar os processos de matrículas, De acordo com a Diretora de Planejamento e Gestão Escolar, Adriana Kampa, a intenção é tornar mais prático o sistema de matrículas, em tempo de isolamento social, sem a necessidade do pai ou responsável se dirigir fisicamente à escola.

“Para administrar melhor essa demanda, produzimos páginas de acesso por núcleos regionais para otimizar esse atendimento, mantendo as orientações de saúde e isolamento social”, explica Adriana.


Novo caminho - Anteriormente o pai que tinha interesse em transferir o filho tinha que ir até à escola de seu interesse. Agora o responsável irá acessar a página da Secretaria de Estado de Educação (www.educacao.pr.gov.br) e clicar no banner do alto da página (Como fazer matrícula em tempo de coronavírus). Nessa página haverá uma série de links por Núcleos Regionais da Educação.

A Seed reforça aos pais que, para acessar aos formulários e fazer o requerimento de matrícula, é necessário estar logado em seu gmail.
Ao acessar o link da sua região, serão pedidas informações sobre o aluno, como idade, se é uma pessoa com deficiência ou se tem problemas com aprendizado, a série, entre outros. Também serão coletados os dados dos pais e responsáveis e o bairro onde vive o aluno. Conforme for avançando, serão abertos campos para anexar comprovante de endereço, o documento do aluno (carteira de identidade ou certidão de nascimento), também serão solicitados documentos do responsável, além de histórico escolar e carteira de vacinação.

De acordo com Adriana, a medida visa evitar que pessoas se aglomerem nas escolas e disseminem o Covid-19. “Quando o pai quiser matricular seu filho nos colégios da rede estadual, basta acessar o link referente ao seu núcleo, e um técnico entrará em contato por e-mail indicando a escola para efetivar a matrícula”, explica.
De posse da declaração de vaga que será enviado por e-mail ao responsável, o pai deverá solicitar a transferência da escola onde o estudante estava matriculado e efetivar a matrícula na escola indicada pelo NRE.

Confira quais documentos são necessários para fazer a matrícula

Certidão de nascimento ou carteira de identidade do aluno;
Comprovante de endereço
Carteira de identidade e CPF do Responsável legal;
Histórico escolar

Troca

Mas o número de estudantes deixando a escola particular no Estado pode ser ainda maior. Veja matéria do dia 7 de maio no Bem Paraná.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES