Publicidade

Diego Alves pede pés no chão ao Flamengo e Bruno Henrique festeja gol de letra

O Flamengo chegou ao 11º jogo de invencibilidade no Brasileirão ao vencer o Athletico-PR, por 2 a 0, neste domingo, na Arena da Baixada, em Curitiba. O resultado positivo fez o time manter a vantagem de oito pontos sobre o vice-líder Palmeiras.

Um dos destaques na vitória em Curitiba, o goleiro Diego Alves comemorou o bom momento vivido pelo clube, elogiou o trabalho feito pelo técnico Jorge Jesus, que é chamado de "mister" pelos jogadores, mas pediu pés no chão aos companheiros.

"A gente sabe que o Brasileirão é um campeonato muito difícil, mas o grupo está de parabéns. O mister está fazendo um trabalho espetacular, o time está com uma confiança muito grande e, quando junta tudo isso, dá bons resultados. Mas temos que ter os pés no chão. Parece que falta pouco, mas a caminhada ainda é longa. Tenho certeza que tem coisa boa preparada para a gente", disse o goleiro.

Apesar dele ter feito pelo menos quatro boas defesas, o nome da partida deste domingo foi Bruno Henrique. Autor de dois gols, o atacante comentou o lance que originou o primeiro, quando o goleiro Léo errou o passe para Wellington e entregou a bola em seus pés.

"Eles estavam muito confiantes tocando a bola lá atrás e acabaram errando. Uma hora as coisas não acontecem. Fui feliz de roubar a bola e fazer o gol", explicou o atacante, que chegou a 11 gols no Brasileirão, atrás apenas do companheiro Gabriel, que tem 18. O segundo gol, ainda mais bonito, por ter sido de letra, ele explicou de forma simples: "Fiz o mais fácil e deu certo".

Mas Jorge Jesus ganhou uma preocupação para a sequência da temporada. No intervalo, o lateral-direito Rafinha deu lugar para João Lucas e foi encaminhado para um hospital de Curitiba depois de ter sofrido um trauma no crânio após choque de cabeça com Rony durante o primeiro tempo. O flamenguista vai ficar de observação e nem deve voltar com a delegação para o Rio de Janeiro.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES