Pesquisa

Distância média de viagem do brasileiro caiu 63% entre junho e agosto

(Foto: Divulgação)

Pensando em viajar mais perto de casa, distância média de viagem do brasileiro caiu 63% entre junho e agosto em comparação com o mesmo período de 2019
Brasileiros percorreram, em média, 1.557 quilômetros por reserva no ano passado, e o número caiu para apenas 569 quilômetros por reserva em 2020
Viajar pode não ser o mesmo durante esses tempos sem precedentes, mas dados da Booking.com revelam que a felicidade que uma viagem pode trazer não é medida em quilômetros. Os planos de viagem podem ter mudado drasticamente em 2020, mas isso deu aos viajantes a oportunidade de explorar destinos mais perto de casa, descobrindo – e, em muitos casos, redescobrindo – locais e experiências únicas.


Ao analisar os padrões de viagem dos últimos meses (entre junho e agosto), a Booking.com calculou que a distância média que os brasileiros viajaram caiu 63%(1) em comparação com o mesmo período do ano passado, o que está em linha com a média global, também de 63%. Ao olhar para os meses de junho a agosto de 2019, os viajantes brasileiros percorreram, em média, 1.557 quilômetros por reserva(1), e essa distância caiu para apenas 569 quilômetros por reserva(1) neste ano.


No geral, 84%(2) da distância total percorrida pelos brasileiros entre junho e agosto foi dentro do país, em comparação com apenas 32% durante o mesmo período de 2019.

Enquanto esta mudança de foco para viagem doméstica tem visto alguns destinos menos explorados, geralmente no interior dos estados brasileiros, como tendência, grandes centros urbanos ainda estão no topo da lista dos destinos mais populares nesta retomada gradual. Os destinos mais reservados nos últimos meses foram São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Gramado (RS), Curitiba (PR) e Brasília (DF).


E quando se trata da escolha da acomodação, os brasileiros estavam mais propensos a optar por um chalé entre os meses de junho e agosto deste ano, em comparação com o mesmo período ano passado, seguido por estadias em Villa – ambos lideraram o ranking dos tipos de acomodação em tendência para viajantes domésticos nos últimos meses(4). Este aumento, inclusive, reflete as tendências de viagem que estamos observando. Ao olhar para o final de 2019, antes de sabermos que nossos planos de viagem para 2020 seriam pausados e/ou reavaliados, 60% dos viajantes brasileiros pretendiam se hospedar em um hotel tradicional, seguido por pousadas (40%), resorts (29%), casas (29%) e apartamentos (22%)

Nelson Benavides, Gerente Regional da Booking.com no Brasil, afirma: “Durante esses tempos sem precedentes, é reconfortante ver que, embora nossos planos e prioridades possam ter mudado, nossa paixão por viagens não mudou. Os últimos meses provaram que a felicidade que uma viagem pode trazer não é simplesmente medida em quilômetros e que há muitas aventuras a serem exploradas e conforto a ser encontrado bem perto de casa. Com a nossa missão de fazer com que vivenciar o mundo fique mais fácil para todos, oferecemos o maior leque de opções de lugares para ficar, ótimo valor e a experiência mais fácil para que os viajantes possam desfrutar de todos os tipos de experiências de viagem, sempre que for seguro fazê-lo e seja perto ou longe."