Publicidade
Artigo

Do Globo de Ouro ao Oscar: o que esperar das premiações em 2019

Nos dois primeiros meses do próximo ano acontecem duas das principais premiações de cinema do mundo, O Globo de Ouro e o Oscar - em janeiro e fevereiro, respectivamente. Mas será que já conseguimos traçar um panorama de qual filme irá desfilar de gala no tapete vermelho?
Vale ressaltar que há diferenças nos critérios de votação e de categorias entre os dois. No Globo de Ouro o júri é composto pela Associação dos Correspondentes Estrangeiros de Hollywood (HFPA), formado por jornalistas e fotógrafos de mais de 50 países. Já no Oscar a escolha é feita com base em milhares de profissionais da própria indústria, algo mais parecido com o prêmio do sindicato. Porém, muitas vezes os escolhidos acabam coincidindo entre as premiações, o que pode fazer do Globo de Ouro um termômetro para o Oscar.
Sendo assim, é possível fazer algumas previsões de filmes que possam despontar nesses eventos.
Nasce Uma Estrela: o longa marca duas importantes estreias no cinema. A primeira delas é a do ator Bradley Cooper (Se Beber Não Case e O Lado Bom da Vida) como diretor e a outra é da cantora Lady Gaga como protagonista. Apesar de ser a quarta refilmagem do drama musical, o filme vem recebendo muitas críticas positivas nos festivais em que foi apresentado e traz boas perspectivas de premiação tanto para Cooper quanto para Gaga.
A Favorita: o conceituado diretor Yorgos Lanthimos chama a atenção da academia desde que a Lagosta (2005) foi indicado como melhor roteiro original.  Agora o grego volta aos holofotes retratando os desentendimentos da aristocracia britânica do século XVIII. Com Emma Stones (La La Land), Rachel Weiz (A Múmia) e Olivia Colman (The Crown), o longa foi premiado no Festival de Veneza e vem com grande credibilidade para a disputa.
Green Book - O Guia: ganhou destaque ao conquistar o prêmio do festival de Toronto. Dirigido por Peter Farrelly (Debi & Lóide), conta a história de um recém-contratado de um pianista negro para uma turnê no sul dos Estados Unidos, nos anos 60. Quem dá vida aos protagonistas são os prestigiados Viggo Mortensen (Capitão Fantástico) e Mahershala Ali (Moonlight).
O Primeiro Homem: a dobradinha de sucesso em La La Land entre o diretor Damien Chazelle e o ator Ryan Gosling se repete agora no espaço. A narrativa conta a trajetória de Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na lua. Normalmente filmes biográficos são bem reconhecidos pela academia, o que pode fazer com que Gosling repita o feito de Gary Oldman no ano passado.
Pantera Negra: seria essa a oportunidade da Marvel em ser consagrado pela academia? Estrelado por Chadwick Boseman, o longa pode ser o primeiro de super-heróis a ser indicado na principal categoria do Oscar.
Outros três filmes que merecem destaque na lista são Infiltrados na Klan, Se a Rua Beale Falasse e Bohemian Rhapsody. O primeiro narra uma história real de dois policiais, um deles negro, que se infiltraram-na KKK. Dirigido por Spike Lee, a produção conta com bons nomes no elenco, como John David Washington, Adam Driver (Star Wars: Os Últimos Jedi) e Laura Harrier (Homem-Aranha: De Volta ao Lar).
O segundo, dirigido por Barry Jenkins (Moonlight), é uma adaptação do romance de James Baldwin, um dos principais autores negros da história.
E por último temos que exaltar a atuação de Rami Malek na pele de Freddie Mercury, o que o torna um dos favoritos para vencer na categoria de melhor ator.

Daniel Bydlowski é um cineasta brasileiro, membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia

DESTAQUES DOS EDITORES