Publicidade
Saúde e Beleza

Domingo é o Dia Mundial do Cérebro. Médicos alertam para o risco do AVC. Conheça os sintomas

Domingo é o Dia Mundial do Cérebro. Médicos alertam para o risco do AVC. Conheça os sintomas
(Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa)

Dia 22 de julho é comemorado o Dia Mundial do Cérebro e nada mais justo do que fazermos um alerta para tentar proteger este bem inestimável que temos. O Acidente Vascular Cerebral é a segunda doença que mais causa óbitos no mundo, e uma das principais responsáveis por incapacidade funcional. Sua ocorrência pode deixar sequelas em até 70% dos pacientes, mas se tratada adequadamente, seguindo o protocolo de atendimento indicado pelos médicos, ela pode ser amenizada.

O neurorradiologista Intervencionista, Robertson Pacheco, listou os principais sintomas da doença e como deve-se proceder em caso de sua detecção:

- Formigamento ou ausência de força em um dos lados do corpo;

- Paralisia facial, com deslocamento da boca para o lado do cérebro em que ocorreu o AVC;

- Perda de comunicação e expressão;

- Perda de consciência, desmaio.

Existem dois tipos de AVC, o Isquêmico e o Hemorrágico. O primeiro é o mais comum, e consiste na obstrução de uma veia ou artéria que leva o sangue ao cérebro. Os neurônios, que são células com metabolismo altíssimo, por conta da falta de oxigênio e glicose trazidos pelo sangue, começam a morrer e, consequentemente, param de enviar os estímulos ao corpo. Com isso, o paciente inicia um quadro com os sintomas listados acima. Segundo o Dr. Robertson Pacheco, ao se deparar com um indivíduo que apresente tais características, é importante ligar para o serviço do SAMU para encaminhá-lo imediatamente à um centro de referência em atendimento ao AVC. “Tais hospitais caracterizam-se pela presença de uma ala dedicada ao atendimento destes pacientes, além de equipamentos para exames de imagem avançados, como tomografia e ressonância. Esse procedimento irá mostrar à equipe de médicos em qual situação o paciente se encontra”, esclarece.

O tempo já foi um fator determinante no tratamento do AVC, mas hoje, em decorrência dos avanços da medicina, é somente um dos elementos que define o sucesso ou não na interrupção de uma isquemia. Isso porque já é possível utilizar dois métodos para desobstruir a veia ou artéria entupida: o trombolítico ou a trombectomia mecânica. O primeiro deve ser aplicado no paciente até quatro horas e meia após o início da instalação, e tem como objetivo dissolver o coágulo. Já a trombectomia pode ser realizada em até oito horas, pois alcança o local exato da obstrução. “O tempo aliado à uma análise assertiva do estado clínico do paciente, uma equipe qualificada e uma estrutura que permita realizar os procedimentos imediatamente, é o segredo para aumentar as chances de uma boa recuperação”, finaliza o médico. 

Porém, prevenir é sempre melhor do que remediar. Sendo assim, manter uma alimentação saudável, cuidados com diabetes, pressão alta, colesterol, além de praticar exercícios regularmente e manter os exames em dia, são medidas fundamentais para evitar o desenvolvimento da doença.

Sobre Robertson Alfredo Bodanese Pacheco

Formado em medicina pela Universidade Federal do Paraná em 1992, Robertson Alfredo Bodanese Pacheco especializou-se em Neurocirurgia no Serviço de Neurocirurgia em Curitiba (atual INC) e foi em busca de mais conhecimento na área em Paris, na França, onde cursou sua 2ª especialização, a Neurorradiologia Intervencionista, no hospital Pitié Salpêtrière, com o Prof. Alfredo Casasco. Há 18 anos nesta área, atualmente o médico está a frente do Serviço de Neurorradiologia Intervencionista do Hospital do Rocio, em Campo Largo, além de atender em outros hospitais de Curitiba.

DESTAQUES DOS EDITORES