Infecções sexualmente transmissíveis

DST agora é chamada IST: veja as mais comuns e como testar

(Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)

A expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) agora é chamada de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) justamente para destacar a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo não apresentando sinais e sintomas. As IST podem ser causadas por mais de 30 tipos de vírus, bactérias, fungos e protozoários e a transmissão ocorre por via sexual (oral, vaginal e anal), bem como gestacional (parto ou amamentação).

As IST são responsáveis desde uma simples infecção do trato geniturinário até causas graves como prematuridade, má-formação congênita e infecções em recém-nascidos, além de complicações cardiológicas e neurológicas. Entre elas, a gonorreia, clamídia, herpes genital, HPV e sífilis. Segundo o Ministério da Saúde, em 2020, foram registrados 49.154 novos casos de sífilis em todo o país. Quanto à clamídia, pesquisas mostram que 70% das mulheres e 50% dos homens são assintomáticos.

Além do uso de camisinha masculina ou feminina, outra medida importante é testar regularmente para as IST. Segundo a Dra. Léa Amaral Camargo da Silva (CRM 10937/Paraná), especialista em Ginecologia e Obstetrícia, “além do sexo seguro, os exames que são solicitados no primeiro e último trimestre da gestação são muito importantes, já que protegem não só o feto, mas também a mãe”.

A Mobius Life Science oferece ao mercado o Painel IST Plus, que detecta até 11 patógenos (incluindo o causador da sífilis). O diagnóstico é feito com amostras de urina, sêmen, citologia líquida, swabs uretral, endocervical, anal ou de orofaringe (garganta).

“O exame molecular tem alta sensibilidade, identifica até mesmo casos assintomáticos em poucas horas, auxiliando a conduta médica e diminuindo a transmissão”, afirma Juliano Bison, coordenador comercial da Mobius Life Science.

Conheça algumas IST e seus principais sintomas e complicações:

Gonorreia - Quadros de uretrites que podem levar à infertilidade e outras complicações;

Clamídia - Frequentemente assintomático, podendo desenvolver complicações e levar neonatos à cegueira;

Herpes genital - Lesões recorrentes;

HPV - Lesões clínicas e subclínicas (não visíveis a olho nu), precursoras do câncer de colo de útero;

Sífilis - Pode apresentar lesões cutâneas nas fases iniciais, mas desaparecem em sua fase crônica.