Publicidade
Carreira & Cia.

Economistas apontam boas perspectivas na economia do Paraná e do Brasil

No início de 2020, a trinta dias do Carnaval, o país anseia por dias melhores e crescimento na economia, nos negócios e nos empregos. Como Colunista, headhunter e consultor de negócios na área de fusões & aquisições, não poderia deixar de iniciar o ano e abordar temas relacionados às várias dúvidas e inquietações que temos sobre economia, negócios e empregos. Aproveitei a posse de Carlos Magno Bittencourt, que foi reconduzido ao cargo de presidente do Conselho Regional de Economia do Paraná (CoreconPR), para extrair dele e outros economistas informações sobre as perspectivas para a economia do Paraná e do Brasil.

Perspectivas da economia e negócios no PR e Brasil

As perspectivas para a economia paranaense e brasileira são positivas, podemos acreditar que as reformas realizadas proporcionarão um maior fôlego para as contas públicas, e assim darão um espaço maior a fim de que a iniciativa privada possa ter um ambiente econômico favorável.

Tendências da economia no PR e o governo Bolsonaro

Ambos os governos apresentam um conjunto de medidas em que se prega menos Estado e mais iniciativa privada. As parcerias propostas juntamente com as reformas contribuem para o crescimento da Economia.

As empresas podem aproveitar melhor e se prepararem para um melhor 2020

Cabe às empresas se adequarem às transformações que estão ocorrendo no mundo, principalmente no quesito inovação. Não podemos ficar apenas como expectadores, mas sim ser protagonistas. Nosso mercado interno é imenso, há oportunidades para conquistar clientes e expandir os negócios.

Cenário global e as disputas econômicas

É importante salientar que não somos uma ilha. Diante de um cenário global em que as questões geoestratégicas estão sendo disputadas num grande tabuleiro, precisamos ser sábios e manter uma diplomacia amigável. Até mesmo contribuindo para uma estabilidade entre as nações.

Principais desafios para a Presidência do CoreconPR

A nova gestão continua a ter como principal missão, a de valorizar a profissão do economista. Vamos prosseguir com os desafios de amparar e proteger os Economistas paranaenses, ampliar o campo de trabalho, estreitar as relações com a sociedade civil e com o governo, reestruturar as delegacias no interior, aproximar-se das Instituições de Ensino Superior (IES) e disseminar o papel e a importância do Economista na sociedade.

Melhor desempenho que 2019

Mesmo sabendo que os aspectos do processo de alta e baixa no desempenho da economia vivido pelo Brasil nas últimas 4 décadas não irão se dissipar completamente até 2024, a aposta dos economistas é que 2020 será um ano mais positivo do que 2019. A retomada do PIB colaborado pela recuperação da construção civil trarão uma melhora no consumo, girando mais a economia, reduzindo um pouco o desemprego e favorecendo o crescimento do país.

Reformas tributárias, financeiras, fiscais e estruturais

Entretanto, sem as devidas reformas tributárias, financeiras, fiscais e estruturais, o Brasil não conseguirá um desenvolvimento constante e sustentado. Estes e outros aspectos da economia nacional foram debatidos na no evento “Perspectivas da Economia para 2020”, promovido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (CoreconPR), no final de 2019, que fez uma análise econômica do ano que se encerra e das probabilidades para os próximos 12 meses.

Aumento no consumo das famílias

Segundo o economista e doutor em Desenvolvimento Econômico, Lucas Lautert Dezordi, um dos palestrantes do evento, com a retomada do Produto Interno Bruto (PIB) virá também uma melhora do consumo. “Teremos, por exemplo, uma Páscoa melhor do que a de 2019. Vamos observar um aumento no consumo das famílias, tendo como principais itens os eletrodomésticos e alimentação. Haverá uma boa retomada da Construção Civil, com novos projetos comerciais e residenciais, o que melhora um pouco o nível de emprego”. Ele explica que apesar do destaque ser a construção civil, haverá também uma retomada gradual da atividade produtiva no comércio varejista, carnes e derivados e logística. O desempenho do PIB, que será puxado pelo consumo e investimento das famílias, deve fechar com um crescimento de 2,4% em 2020. O economista Gilmar Mendes Lourenço, outro palestrante do debate, há duas providências cruciais para que o país retome de uma forma sustentada o crescimento. A primeira é a Reforma Tributária, na direção da simplificação da cobrança de tributos e da diminuição da incidência indireta, que transforma a população de baixa renda, os mais pobres, nos maiores pagadores de impostos do país. A segunda seria melhorar as condições de disponibilidade de crédito barateando o seu custo para o tomador final.


Curtas:

* O início do ano é o período no qual as empresas devem elaborar as demonstrações financeiras do ano anterior. O diretor da PwC Brasil, Gabriel Perussolo, aponta algumas das principais mudanças nas normas contábeis que as organizações devem estar atentas. O IFRS 16, nova norma sobre Arrendamentos, é uma delas. “Em um levantamento prévio da PwC feito com base nos balanços trimestrais de março de 2019 das companhias listadas no IBRX 100, o passivo dessas companhias aumentou em R$ 93 bilhões por conta desta nova norma contábil”. Outro aspecto importante a ser considerado pelos preparadores é a inclusão da Argentina na lista de países com economia hiperinflacionária, “As empresas que possuem investimentos naquele país terão que fazer a correção monetária das informações contábeis no momento da consolidação dos balanços”, explica Perussolo.

* O curitibano Hendel Favarin, um dos sócios da Conquer, escola de negócios que nasceu em Curitiba, foi um dos únicos dois curitibanos selecionados para a lista Under 30 da Forbes, uma das mais importantes no mundo dos negócios e que reconhece jovens com menos de 30 anos que estão fazendo a diferença no mercado. Dos 90 selecionados no Brasil, Hendel foi eleito para a categoria educação. A Conquer, que nasceu em 2016 com apenas uma unidade na capital paranaense, hoje possui 11 unidades em oito cidades brasileiras, tendo em seu portfólio mais de 20 mil alunos e 200 grandes empresas atendidas com um método inovador e diferenciado de formar profissionais.


Frase:

“Os livros são amigos que nunca nos decepcionam.”

(Thomas Carlyle)


Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES