Publicidade
Superdotação

Educação garante atendimento especializado a alunos com altas habilidades

A rede estadual de ensino garante o atendimento especializado a mais de 1,2 mil alunos diagnosticados com altas habilidades/superdotação em Salas de Recursos Multifuncionais nas escolas estaduais ou no Núcleo de Atividades de altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S). O Dia Internacional da Superdotação é celebrado nesta sexta-feira (10). 
Nas 117 salas de recursos multifuncionais da rede estadual de ensino os alunos que frequentam do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio recebem enriquecimento pedagógico por meio de atividades de suplementação de currículo e aprofundamento em temas de interesse do aluno.
O acompanhamento é feito por um professor especialista em educação especial e professores da rede estadual que desenvolvem oficinas específicas em diferentes áreas do conhecimento. “Nesse espaço, que está disponível no contraturno da escolarização, o professor viabiliza a elaboração e a implementação de projetos com os estudantes, os quais podem ser realizados individualmente, em pequenos e grandes grupos. Trata-se de um ambiente que favorece trabalhos de autoconhecimento e interação do estudante superdotado com seus colegas que, dentre outros objetivos, contribui para o aprimoramento dos aspectos inter e intrapessoal”, explicou a chefe do Departamento de Educação Especial da Secretaria de Estado da Educação, Siana do Carmo Bueno. 

AVANÇOS

Em 2008, a rede estadual de ensino contava com 12 salas para atender 200 alunos. Esse número aumentou para 35 salas atendendo 469 estudantes, em 2011. Em 2018, a rede estadual conta com 117 salas localizadas em diferentes regiões do Estado que garantem o acompanhamento especializado a 1.238 alunos.
“As salas de recursos multifuncionais para altas habilidades/superdotação têm caráter suplementar e estão organizadas para que o estudante participe de atividades focadas no enriquecimento curricular, propiciando a aquisição, a ampliação e o aprofundamento de conhecimentos, aprimorando suas habilidades”, disse Siana. 
Esses espaços são organizados com materiais didáticos, pedagógicos e equipamentos para garantir um Atendimento Educacional Especializado a estudantes que possuem necessidades educacionais especiais. São atendidos ali estudantes da rede estadual identificados com Altas Habilidades/Superdotação e que requerem ampliação ou suplementação dos conteúdos escolares.
Outro espaço disponível é o Núcleo de Atividades para Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S), que consiste em um projeto proposto e incentivado pelo Governo Federal, em 2005 que, no Estado do Paraná, foi criado em 2009, na cidade de Londrina. O Núcleo de Londrina atua na orientação às famílias, aos professores, bem como na identificação e no atendimento educacional especializado de estudantes da rede pública de ensino, com altas habilidades/superdotação.
“O Departamento de Educação Especial da Secretaria da Educação atua na elaboração de propostas, implementação de ações e políticas públicas para consolidar a identificação e a oferta do atendimento educacional especializado, como garantia do direito à educação especial, para estudantes com altas habilidades/superdotação”, destacou a chefe da educação especial da Secretaria. 

PIONEIRISMO

O Paraná foi um dos primeiros estados do país a trabalhar com Salas de Recursos Multifuncionais para o atendimento especializado a alunos com altas habilidades/superdotação. A primeira sala de recursos no Estado foi criada em 2000 no Instituto de Educação do Paraná Erasmo Pilotto, em Curitiba, para atender 15 estudantes.

DESTAQUES DOS EDITORES