Publicidade
Pesquisa

Em 10 anos, setor de serviços cresce 86% no Paraná

Meios de hospedagem estão entre os destaques na área de serviços
Meios de hospedagem estão entre os destaques na área de serviços (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

Em meio ao caos econômico que se instalou no país nos últimos anos, um setor tem conseguido sobreviver quase que incólume à crise. É o setor de serviços, que em 2017 contava com 112.275 empresas no estado, recorde da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 2007.
Os dados da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 2017, divulgados na última semana pelo IBGE, revelam ainda que o Paraná é o terceiro estado com mais empresas voltadas para o setor de serviços. Apenas São Paulo (468.554) e Minas Gerais (143.254) ficam na frente, ao passo que o Rio de Janeiro, com 107.693, aparece logo atrás.
O segmento com maior número de empresas no estado é o de serviços prestados às empresas, com 34.416 unidades. Em seguida vêm as empresas voltadas a prestação de serviços à família, com 28.369 unidades. Esse setor inclui empresas que atuam com alojamento e alimentação (18.815), atividades culturais, recreativas e esportivas (2.484), serviços pessoais (2.740) e atividades de ensino continuado (4.330).
Nos últimos 10 anos, inclusive, o segmento registrou uma expansão expressiva. Em 2007, eram 60.263 empresas atuando no setor de serviços no Paraná, o que aponta para um crescimento de 86,31%, segundo os dados mais recentes. Esse crescimento foi puxado pelas empresas voltadas às atividades imobiliárias (+ 200,46%, totalizando 5.853 unidades) e pelas empresas que prestam serviços a outras pessoas jurídicas (+115,41%).
Na esteira dessa expansão de empresas atuando no ramo, o número de pessoal ocupado cresceu 64,01% no estado. Em 2017, haviam 772.993 pessoas trabalhando em empresas prestadoras de serviços. A receita bruta dessas empresas também cresceu exponencialmente (201,48%), alcançando a marca de R$ 98,93 bilhões.

Estado se torna líder na geração de receita bruta na Região Sul
Um dado importante trazido ainda pelo PAS 2017 diz respeito a uma mudança estrutural. É que o Paraná aumentou sua participação na receita de serviços na região Sul do Brasil em 2,2 pontos porcentuais, passando a ter predominância na geração de receita bruta de serviços da região, concentrando 39,3%.
Em 2017, o setor arrecadou R$ 98,93 bilhões, o que aponta para um crescimento de 201,5% na comparação com 2007, quando as empresas da área de serviço arrecadavam 32,82 bilhões no estado.
Enquanto o Paraná aumentou sua participação, o Rio Grande do Sul recuou a sua em 3,7 pontos porcentuais, passandoi a responder por 35,2% do total. Santa Catarina, por sua vez, respondeu por 25,5% da receita de serviços da região em 2017, registrando um aumento na participação de 1,5 p.p.

Dois setores concentram 60,4% dos ocupados na área
No Paraná, o setor de serviços ocupava em 2017 um total de 772.993 pessoas, o que aponta para um crescimento de 64,01% na comparação com 2007, quando haviam 471.309 ocupados nesse segmento da economia. Apesar disso, o estado ainda está longe de voltar a bater o recorde de pessoas ocupadas na área de serviço, registrado em 2015, quando haviam 815.542 pessoas ocupadas em empresas do ramo.
Dos sete segmentos pesquisados pelo IBGE, dois deles concentram 60,4% do pessoal ocupado: o de Serviços prestados às empresas (com 271.986 trabalhadores) e o de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (194.568).
Nos últimos 10 anos, porém, o setor que apresentou maior crescimento na empregabilidade foi o de atividades imobiliárias (alta de 119,38%, com 16.287 ocupados).

Hospedagem e outros

Estado registra alta no número de empresas cadastradas no turismo
No Paraná o número de meios de hospedagens inscritos no Cadastur cresceu quase 39,77%, acompanhando significativos crescimentos nos outros segmentos. Os dados são do Ministério do Turismo. Em agosto de 2018 eram 1.707 empresas cadastradas. Neste mesmo período em 2019 cresceu para 2.386.
O crescimento expressivo de pessoas físicas e jurídicas credenciadas reforça que a ação de fiscalização e conscientização encontrou respaldo em todo o setor, que entendeu a importância de estar regularizado, formalizado, e assim desenvolvendo o setor.

Para o presidente da Paraná Turismo, Jacob Mehl, a conscientização do empresário ligado ao segmento foi fundamental para esse crescimento. “É uma satisfação pra nós vermos que há uma conscientização de toda classe, lembrando que o Cadastur propicia aos municípios vantagens econômicas muito importantes”, disse Jacob.
Segundo a Lei do Turismo, sete atividades turísticas devem possuir cadastro obrigatório: guias de turismo, agências de viagens, meios de hospedagens, transportadoras, empresas organizadoras de eventos, acampamentos turísticos e parque temáticos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES