Publicidade
Portabilidade

Em 11 anos, paranaenses já mudaram de operadora 3,7 milhões de vezes

Desde 2008, no Brasil, usuários de telefonia móvel e fixa podem migrar de operadora sem alterar o número de identificação dos acessos. Neste período, 49,50 milhões de transferências foram realizadas. No Paraná foram 3,71 milhões de ações de portabilidade numérica. O equivalente a 1,46 milhão (39%) solicitações foram feitas por usuários de telefones fixos e 2,25 milhões (61%) para telefones móveis.

Considerando apenas o primeiro trimestre de 2019 (janeiro a março), a ABR Telecom apurou que foram efetivados 115,51 mil solicitações de portabilidade numérica no Estado. Os usuários de telefones fixos respondem por 29,90 mil (26%) transferências e os de móveis, por 85,61 mil (74%).

A portabilidade numérica começou a ser implantada gradativamente nos 67 DDDs em operação no País a partir de setembro de 2008 e as migrações foram possíveis, em todo o território nacional, em março de 2009. Para realizar o processo da portabilidade numérica o usuário deve procurar a operadora para onde ele quer migrar e fazer a solicitação.

A operadora para a qual o usuário deseja migrar fornecerá um número de protocolo da solicitação a fim de que possa acompanhar o processo de transferência. No Brasil, o modelo de portabilidade numérica determina que migrações devem ser solicitadas dentro do mesmo serviço, de móvel para móvel ou fixo para fixo, e na área de abrangência do mesmo DDD.

O tempo de transferência para efetivação da portabilidade numérica é de três dias úteis ou após esta data, se o usuário desejar agendar. Para desistir da portabilidade numérica, o usuário tem dois dias úteis, após sua solicitação de transferência, para suspender o processo de migração.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES