Junho Laranja

Não bastasse a pandemia de Covid, Curitiba registra ano com mais casos de queimadura na década

(Foto: Franklin de Freitas)

Com um aumento expressivo no número de ocorrências, Curitiba registrou em 2020 o maior número de internações por queimadura e corrosões ao longo de toda uma década. Segundo informações do Ministério da Saúde, no ano passado 1.483 pessoas foram internadas em hospitais da capital paranaense por conta desse tipo de situação, o que aponta para um crescimento de 39,5% em relação ao número de internações do ano anterior (1.063).

Desde 2011, conforme os dados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS), foram registrados 11.768 internamentos na capital decorrente de queimadura e corrosões, o que dá uma média três ocorrências por dia, aproximadamente. Considerando-se apenas o número do último ano, contudo, essa média foi de quatro ocorrências por dia.

Além disso, antes de 2020, o ano com mais registros na década era 2015, com 1.255. Se analisada toda a série histórica, iniciada em 2008, o recorde ainda pertence a 2009, com 1.579 internações.

Conforme relato da enfermeira Cynthia Veiga, que por 10 anos foi responsável pelo Centro Cirúrgico de Queimados do Hospital Evangélico do Paraná, 80% do total está relacionado a acidentes domésticos, principalmente em ambientes como cozinhas e churrasqueiras.

Durante a pandemia da Covid-19, contudo, um outro tipo de situação tem se tornado mais comum. A utilização de forma incorreta do álcool em gel em maiores concentrações traz perigo para a ocorrência de acidentes graves. Além disso, as vítimas que necessitam de internações concorrem com pacientes de Covid-19 por um leito, sobrecarregando ainda mais o sistema de saúde.

Por isso, o alerta é para o manuseio e o armazenamento de forma correta do produto, com os frascos sempre na sombra e preferencialmente distantes de ambientes com chamas.

Paraná é o terceiro estado com mais ocorrências no país

Ao longo da última década, o Paraná foi a terceira unidade da federação com mais internamentos por queimadura ou corrosões.

Conforme o Ministério da Saúde, entre 2011 e 2020 foram atendidos 24.642 pacientes na rede pública do estado, com 2.786 registros apenas no ano passado - o segundo maior número para um só ano em toda a série histórica, atrás apenas de 2018, com 3.238 registros.

No acumulado da década, apenas os estados de São Paulo (44.351) e Minas Gerais (25.155) apresentam números superiores ao do Paraná, situação que se repetiu em 2020, quando os dois estados registraram, respectivamente, 4.626 e 2.886 internações. No Brasil, foram 255.357 internações entre 2011 e 2020, com 26.274 registros apenas no último ano.

O que fazer e o que não fazer em caso desse tipo de acidente

Em caso de queimaduras, a orientação é para que o local afetado seja bem lavado em água corrente, usando jato suave e temperatura natural por cerca de 10 minutos. Antes da pele inchar, retire acessórios como pulseiras e anéis, cubra a queimadura com pano, gaze ou toalha limpos e úmidos e se dirija para a emergência. Não se deve utilizar pomada ou outras substâncias no local dos ferimentos. A aplicação de gelo é vedada (pela temperatura negativa, o gelo também provoca queimadura).

RÁPIDA

Junho Laranja

O sexto mês do ano, instituído como junho Laranka, é dedicado ao alerta para os riscos de queimadura. Segundo a Associação Brasileira de Queimaduras (ABQ), cerca de 1 milhão de brasileiros sofrem esse tipo de acidente todos os anos, sendo que entre 100 mil e 150 mil precisam de atendimento hospitalar, o que torna a questão um problema de saúde pública. Desde 2009, inclusive, no dia 6 de junho é celebrado o Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, data cujo intuito é disseminar a ideia de que, quando se trata de queimadura, o melhor é a prevenção.

OS NÚMEROS

Internações por queimaduras e corrosões em Curitiba

2020: 1.483
2019: 1.063
2018: 1.243
2017: 1.223
2016: 1.213
2015: 1.255
2014: 982
2013: 1.021
2012: 1.163
2011: 1.122
TOTAL: 11.768

Internações por queimaduras e corrosões no Paraná
2020: 2.786
2019: 2.748
2018: 3.238
2017: 2.441
2016: 2.424
2015: 2.369
2014: 1.947
2013: 2.045
2012: 2.351
2011: 2.293
TOTAL: 24.642

Fonte: Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS)