Em busca de treinador, Coritiba esbarra na questão financeira

Procura-se um novo treinador para o time do Alto da Glória. Nomes renomados, como Abel Braga, Mano Menezes e Paulo Autuori, foram especulados, mas descartados. Caio Júnior e Celso Roth já até conversaram com o Coritiba, que esbarra na questão financeira.

Em junho deste ano, a equipe alviverde sofreu, inclusive, com o atraso de salários. O agente de Deivid, Felipe Carrilho, reclamou para a imprensa. Deivid tem contrato com o Coxa até metade de 2015, com remuneração fixa de R$ 120 mil, mais bônus por partida disputada, com o salário podendo saltar para até R$ 280 mil mensais, caso o atacante dispute todas as partidas do mês.

Marquinhos Santos recebia no Coritiba cerca de R$ 80 mil mensais. Caio Júnior, opção prioritária do alviverde, pede R$ 300 mil, segundo informações do blog da Nadja Mauad. Para Celso Roth, o clube teria oferecido remuneração de R$ 200 mil. O treinador rejeitou.

O mercado está caro e o orçamento é pequeno. Outras opções especuladas são: Adilson Batista, Perícles Chamusca, Paulo César Carpegianni e René Simões.

Adilson Batista comandou nesta temporada o Figueirense. Foi demitido em agosto. Desde 2009, comandou o Corinthians, o Santos, o Atlético-PR, o São Paulo e o Atlético-GO, além da equipe catarinense. Não ficou mais de um ano em nenhuma dessas equipes.

Péricles Chamusca assumiu em dezembro do ano passado a Portuguesa. Foi demitido em abril, após perder por 7 a 0 para o Comercial, em Ribeirão Preto, pelo Grupo 3 da Semifinal da Série A-2 do Campeonato Paulista.

Carpegiani treinou a Ponte Preta no começo deste Brasileiro, Foram oito jogos à frente da equipe de Campinas, com quatro vitórias, três empates e quatro derrotas. Após perder duas seguidas, abandonou o cargo, alegando motivos pessoais.

René Simões trabalhou no Vasco, como diretor de futebol. Não conseguiu agradar nem a torcida, nem a diretoria. Foi demitido e assumiu o comando técnico do Atlético-GO, com a missão de levar os goianos de volta à Primeira Divisão. Foi dispensado após oito jogos, acumulando seis derrotas e duas vitórias, um aproveitamento de 25%.

Absolvido

O auxiliar técnico Tcheco, do Coritiba, foi julgado nesta quarta-feira por sua expulsão na partida contra o Coritiba e acabou absolvido por unanimidade de votos. A defesa foi realizada pela advogada Fernanda Carpinelli, da Scopo Sports.