Publicidade

Em contraponto ao pai, filho de Bolsonaro exalta manifestação pró-governo

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em um contraponto a Jair Bolsonaro (PSL), que tem tentado se dissociar das manifestações do próximo domingo (26), um de seus filhos defendeu o movimento nesta terça-feira (21).

Apelidado de "Bolsokid", Jair Renan Bolsonaro, quarto filho do presidente, publicou foto em sua rede social com referência à data do protesto e exibindo camiseta utilizada por eleitores do pai.

Em outra imagem, ele republicou mensagem que faz crítica ao deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) e à deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP), que se posicionaram contra a manifestação.

"Abra os olhos. O mundo é cheio de Kims e Janaínas", ressalta a publicação.

Nesta terça-feira (21), o presidente desistiu de comparecer à manifestação em apoio ao seu mandato e pediu à sua equipe ministerial que também não participe das mobilizações populares.

Em reunião ministerial, Bolsonaro fez questão de ressaltar que a manifestação não tem relação nenhuma com o Palácio do Planalto e pediu que aos auxiliares presidenciais que não façam convocações em suas redes sociais.

Bolsonaro chegou a cogitar participar do protesto, mas foi convencido a se distanciar pelo núcleo moderado do Palácio do Planalto, para o qual sua participação acabaria sendo prejudicial para a imagem do governo.

A avaliação é de que se as manifestações forem de pequeno porte seriam associadas a uma perda de capital político de Bolsonaro. Se forem amplas e em tom beligerante, teriam o potencial para elevar a tensão do Executivo com o Judiciário e o Legislativo.

No final de semana, outro filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), defendeu a manifestação em sua rede social.

"Nada mais democrático do que uma manifestação ordeira que cobra dos representantes a mesma postura de seus representados", escreveu.

Nesta terça-feira (21), ele se posicionou novamente a favor do movimento e disse achar curioso acharem que protestos da esquerda são expressão da democracia e que manifestações da direita são erradas.

DESTAQUES DOS EDITORES