Pandemia

Em Curitiba, casos de Covid-19 no começo deste ano superam total de janeiro de 2021

Variante Ômicron impulsiona contaminação
Variante Ômicron impulsiona contaminação (Foto: Frankin de Freitas)

Em pouco mais de duas semanas no mês de janeiro deste ano, o número de diagnósticos de Covid-19 divulgados pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba já supera o total de registros no primeiro mês do ano passado. Dados extraídos do relatório completo sobre o número de casos da doença pandêmica no município mostram que nos 18 primeiros dias de 2022 a capital paranaense anotou um total de 24.937 contaminações pelo coronavírus, enquanto durante todo o primeiro mês de 2021 haviam sido divulgados 18.780 casos.

Isso significa que em 18 dias do novo ano Curitiba já registra um número de casos novos 32,8% superior ao total de janeiro do ano passado. Se comparados períodos idênticos (os 18 primeiros dias de cada ano), a alta verificada fica ainda mais expressiva (aumento de 94,8%), uma vez que em 2021 haviam sido registrados 12.803 casos novos de Covid-19 até 18 de janeiro.

Felizmente – e graças às vacinas contra o novo coronavírus -, a alta expressiva no número de casos não tem significado um maior número de pessoas apresentando quadros graves da doença pandêmica. Nesse sentido, inclusive, a SMS se manifestou recentemente, apontando que a nova alta no número de casos na cidade teria sido provocada pela circulação da variante Ômicron, que possui maior potencial de transmissão, mas que graças à vacinação a maioria dos casos tem se mostrado com sintomas leves, com baixa proporção de internamentos por situações graves (UTI) e com poucas mortes pela doença

No ano passado, por exemplo, o mês de janeiro registrou um total de 367 mortes causadas pela Covid-19, com 237 registros apenas nos 18 primeiros dias do ano. Já em 2022, 11 pessoas haviam falecido até ontem em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Um número que pode e deve ainda subir uma vez que há quase 11 mil casos ativos na cidade, ou seja, 11 mil pessoas com potencial de transmissão do vírus e risco de agravamento dos seus quadros de saúde. Ainda assim, é altamente improvável que o número de vítimas da doença pandêmica neste mês se aproxima daquele registrado em janeiro do ano passado.

E se há menos gente falecendo por conta da infecção pelo SARS-CoV-2, natural também que o número de pessoas internadas esteja em um patamar menor. No dia 20 de janeiro do ano passado, os hospitais da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) registravam 450 pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), que apresentavam taxa de ocupação de 84%, e outros 523 em enfermarias (com taxa de ocupação em 58,5%). Ontem, eram 132 pacientes demandando cuidados intensivos (com 69,5% dos leitos UTI ocupados) e outros 188 em enfermarias (taxa de ocupação de 76,1%).

No Paraná, média de ocorrências em janeiro é recorde

No Paraná como um todo, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa-PR) divulgou 166.920 casos novos de Covid-19 até ontem, o que dá uma média diária de 8.346 diagnósticos divulgados diariamente no estado. Trata-se, portanto, da maior média de casos novos ao longe de um mês desde o início da pandema, superando - e com larga vantagem - a média registrada em março do ano passado, quando foram divulgados 198.303 casos novos da doença pandêmica, com 6.610 casos novos por dia.

Comparando ainda os dados dos 20 primeiros dias de janeiro deste ano com o último mês do ano passado, verifica-se um aumento tanto na média de óbitos como na de casos novos. Em dezembro, a Sesa-PR divulgou 19.132 casos novos da doença pandêmica (média de 617 registros diários) e 89 óbitos (2,87 falecimentos por dia). Em janeiro, já são 65 falecimentos até o dia 20, o que dá uma média de 3,25 registros por dia.

Casos de Covid-19 em Curitiba

Total janeiro de 2021: 18.780
Até 18 de janeiro de 2021: 12.803
Até 18 de janeiro de 2022: 24.937

Óbitos por Covid-19 em Curitiba
Total janeiro de 2021: 367
Até 18 de janeiro de 2021: 237
Até 18 de janeiro de 2022: 11

Pacientes internados em leitos SUS na Grande Curitiba com quadros suspeitos ou confirmados de Covid-19
20/01/2021
UTI
Leitos disponíveis: 536
Leitos ocupados: 450
Taxa de ocupação: 84%
Enfermaria
Leitos disponíveis: 894
Leitos ocupados: 523
Taxa de ocupação: 58,5%

TOTAL
Leitos disponíveis: 1.430
Leitos ocupados: 973
Taxa de ocupação: 68%
20/01/2022

UTI
Leitos disponíveis: 190
Leitos ocupados: 132
Taxa de ocupação: 69,5%
Enfermaria
Leitos disponíveis: 247
Leitos ocupados: 188
Taxa de ocupação: 76,1%

TOTAL
Leitos disponíveis: 437
Leitos ocupados: 320
Taxa de ocupação: 73,2%

2022

Infecções entre crianças crescem mais de 83%

Recentemente o Paraná - isso inclui Curitiba - começou a vacinar o público infantil, com idade entre 5 e 11 anos. Uma medida importante do ponto de vista sanitário, especialmente porque também tem havido uma elevação expressiva nas contaminações entre crianças na capital paranaense.

Ao longo de todo o mês de janeiro de 2021, 769 jovens com até 11 anos de idade haviam sido infectadas pelo coronavírus, sendo que nos 18 primeiros dias do ano foram divulgados 498 registros. Em 2022 - e em meio à explosão de casos no estado e na cidade -, já são 912 registros até 18 de janeiro, uma elevação de 83,13% nos diagnósticos.