Publicidade
Telefones e internet

Em Curitiba, há seis formas de tirar dúvidas sobre coronavírus sem ir ao posto de saúde

(Foto: Reprodução)

Segundo boletim divulgado na sexta (13), Curitiba tem cinco casos de coronavírus confirmados, todos de fora. Segundo a secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak, é importante que as pessoas sem sintomas busquem informações por esses meios disponíveis. Evitar ir até unidades básicas de saúde, unidades de pronto atendimento e outros serviços de saúde reduz a chance de eventuais contágios. E para isso, há cinco formas de tirar dúvidas sobre o vírus, entre telefones, aplicativo e até whatsapp.

A prefeitura de Curitiba criou um tira-dúvidas sobre o coronavírus para o WhatsApp. O bot facilita a navegação. O usuário pode ir direto para a área que tem mais interesse. São sete opções: sintomas, prevenção, transmissão, tratamento, onde buscar tratamento, definição de casos suspeito e mais informações Para ter acesso à funcionalidade, basta mandar a palavra “Coronavírus” como mensagem para o número (41) 99876-2903. Aí é só seguir o passo a passo.

A Secretaria Municipal da Saúde também colocou em operação na sexta (13) um novo telefone de contato para esclarecer dúvidas dos moradores de Curitiba a respeito do coronavírus. Pelo número (41) 3350-9000, o cidadão falará com profissionais habilitados a dar as informações sobre o vírus e será orientado sobre o que fazer em caso de necessidade de atendimento médico. A equipe atende das 8h às 23h, todos os dias, inclusive nos fins de semana. O novo telefone foi ativado para evitar congestionamentos nas linhas de atendimento do Samu, que anteriormente estava prestando informações à população sobre o coronavírus.

Outra forma de acesso às informações é por meio do aplicativo desenvolvido pelo Ministério da Saúde para o Covid-19. Ele está disponível no Curitiba App, o aplicativo de serviços da cidade, que pode ser baixado nas versões iOS e Android.

As pessoas que tiverem sintomas podem entrar em contato com o telefone 192 (do Samu) e também pelo 156, que passará a prestar informações sobre a doença.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES