Mercado da bola

Em despedida, Paulo André explica política de contratações do Athletico

Paulo André se despede do Athletico
Paulo André se despede do Athletico (Foto: Reprodução/Instagram.com/PauloAndreOfficial)

O ex-zagueiro Paulo André publicou uma carta de despedida no seu Instagram. Na segunda-feira (dia 26), o Athletico Paranaense divulgou a demissão do profissional, que deixou o cargo de diretor de futebol.

No texto, nessa terça-feira, Paulo André explicou a política de contratações do Athletico em 2020. “O ano de 2020 se tornou um ano de grande transição e de reformulação de um elenco campeão, com elementos extras de dificuldade não só pela pandemia e pela punição da FIFA, mas também porque o CAP cresceu e passou a ser concorrente dos grandes clubes, dificultando o modelo de empréstimo de jogadores. A necessidade da reposição de 10 atletas em final de empréstimo (muitos dos quais tentamos a renovação), mais 5 atletas vendidos no final de janeiro, começo de fevereiro, representou riscos para a temporada que foram assumidos em conjunto. Aplicamos uma estratégia de contratação e reduzimos o custo com folha de salário do futebol em 2020 (comparado a 2019) que representa 30% do dinheiro utilizado para o investimento feito em novos atletas, com os acertos e erros inerentes a função”, argumentou.

AGRADECIMENTO
No texto, Paulo André fez um agradecimento ao presidente do clube. “Agradeço ao Presidente Mário Celso Petraglia pela confiança e pela oportunidade de trabalhar na gestão de futebol do CAP desde dezembro de 2017. Foi um grande aprendizado trabalhar lado a lado com uma mente brilhante do futebol brasileiro. Agradeço também aos meus companheiros e à equipe de trabalho que me acompanhou durante esse período”, escreveu.

TÍTULO
Na despedida, o ex-zagueiro lembrou das conquistas no período que esteve no clube. “De 2018 para cá foram 6 títulos, 3 deles inéditos e inesquecíveis (Copa Sulamericana, Levain Cup e Copa do Brasil) e um histórico Tri Campeonato Paranaense, com recordes nas vendas de atletas, crescimento das receitas do CAP, abertura de espaço para os jovens e boas apostas em jogadores que já deram retorno esportivo e financeiro ao clube”, relatou.

CATEGORIAS DE BASE
O texto do ex-diretor do Athletico também destacou a força das categorias de base do clube. “No futebol, ninguém faz nada sozinho, nem as vitórias, nem as derrotas, tudo é construído entre algumas cabeças e operacionalizado com suor e sacrifício por muitas pessoas competentes (e às vezes anônimas) que acreditam no projeto e sonham fazer a diferença nesse meio. A linha de sucessão de talentos do clube está bem preenchida e desenvolvida. Há jovens na equipe principal e muitos potenciais no sub20 e no sub17. O clube continua sua caminhada para depender cada vez menos do mercado e cada vez mais de sua excelência na formação de atletas, pois possui profissionais bastante capacitados para isso. Estarei na torcida e eternamente grato pelas histórias”, declarou.