Copa do Brasil

Em noite histórica, Athletico vence o Flamengo e vai à final pela terceira vez

Nikão e Terans comemoram no Maracanã
Nikão e Terans comemoram no Maracanã (Foto: Divulgação/Athletico.com.br/Gustavo Oliveira)

O Athletico Paranaense está na final da Copa do Brasil. A vaga foi garantida nessa quarta-feira (dia 27) à noite, no Maracanã, com uma vitória histórica por 3 a 0 sobre o Flamengo, na partida de volta da semifinal. No jogo de ida, na Arena da Baixada, na semana passada, os dois times empataram em 2 a 2. O gol como visitante não era critério de desempate.

Na final, o Furacão vai enfrentar o Atlético-MG, que eliminou o Fortaleza na semifinal. Os jogos da final serão em 12 e 15 de dezembro. Os mandos de campo serão definidos em sorteio.

Clique aqui para ver as ATUAÇÕES — notas para os jogadores do Athletico.

RESULTADO HISTÓRICO
O Athletico nunca havia vencido o Flamengo na Copa do Brasil. Nos 7 confrontos anteriores entre eles, foram 3 vitórias do time carioca e 4 empates. Em 2019, o Furacão eliminou esse rival nos pênaltis, após 2 empates nas quartas de final.

Essa também foi a maior história do Athletico como visitante contra o Flamengo, somando todas as competições. Antes, o maior placar havia sido registrado no Brasileirão 2013, com o placar de 4 a 2.

Somando todas as competições, o Athletico só tinha 1 vitória nos 11 confrontos anteriores contra o Flamengo — foram 3 empates e 7 derrrotas nos demais jogos.

ARTILHEIROS
Nikão é o artilheiro do Athletico na temporada, com 10 gols em 40 jogos, empatado com o centroavante Renato Kayzer (10 gols em 45 jogos).

Em toda carreira, Nikão soma 46 gols em 296 jogos por competições oficiais pelo Athletico.

COTAS
O Athletico já acumulou R$ 15,1 milhões de cotas na competição (R$ 1,7 milhão pela 3ª fase, R$ 2,7 milhões pelas oitavas, R$ 3,4 milhões pelas quartas e R$ 7,3 milhões pela semifinal). O vice recebe mais R$ 23 milhões e o campeão, mais R$ 56 milhões.

HISTÓRIA
Essa será a terceira vez do Athletico na final da Copa do Brasil, criada em 1989. O time conquistou o título em 2019 e foi vice em 2013. O maior campeão da Copa do Brasil é o Cruzeiro, com seis títulos e dois vices. O Flamengo é o 4º maior vencedor da competição, com três títulos e quatro vices.

ARBITRAGEM
O ex-árbitro Sandro Meira Ricci afirmou na TV Globo que houve pênalti de Filipe Luís em Renato Kayzer, aos 4 minutos de jogo. “Foi pênalti. O Filipe chegou atrasado”, disse. O árbitro verificou no VAR e marcou. Aos 33 do 1º, Bruno Henrique trombou com Thiago Heleno e caiu na área. O árbitro marcou pênalti. O VAR avisou, o juiz verificou no monitor e cancelou a penalidade. Na Globo, Sandro Meira Ricci afirmou que não houve pênalti e que o atacante do Flamengo tentou enganar a arbitragem.

ESCALAÇÃO
As ausências no Athletico eram Pedrinho e Bissoli, que não podem defender o clube na competição já que entraram em campo no torneio por outras equipes. Richard rescindiu contrato e foi devolvido ao Corinthians. O técnico Alberto Valentim manteve o esquema tático das últimas partidas: o 5-2-3 para defender e o 3-4-3 para atacar. Já o Flamengo não tinha Arrascaeta (lesão), Pedro (lesão) e David Luiz (não inscrito).

PRIMEIRO TEMPO
O primeiro tempo teve o Athletico totalmente recuadoe com apenas 26% de posse de bola. A ideia era esperar erros do adversário para atacar. E eles ocorreram. Aos 4, Filipe Luís cometeu pênalti em Renato Kayzer. Nikão cobrou e fez 1 a 0. Aos 46, Abner fez belo lançamento, mas Nikão errou um passe crucial e perdeu chance clara. Aos 52, porém, ele não falhou. Em outro contra-ataque, Nikão tabelou com Kayzer e chutou em cima de Diego Alves, que aceitou: 2 a 0. Já o Flamengo mostrou qualidade na troca de passes e construiu quatro chances claras, mas pecou demais na pontaria.

SEGUNDO TEMPO
No intervalo, o Flamengo voltou sem o meia Diego e com o ponta Michael. O time carioca ficou mais perigoso e criou 5 boas chances em 17 minutos. A melhor foi aos 7, quando Michel passou por quatro defensores e chutou no travessão. As primeiras trocas no Athletico vieram aos 23, com as entradas do atacante Pedro Rocha e do volante Christian. O ritmo da partida reduziu. Aos 32, entraram Khellven e Zé Ivaldo no time paranaense. Em seguida, ao 35, Khellven foi expulso por falta violenta. O Flamengo não conseguiu aproveitar a vantagem de um jogador a mais e o Athletico conseguiu amarrar o jogo nos minutos finais. Para completar, Zé Ivaldo marcou o 3º gol aos 43, puxando contra-ataque, lançando Pedro Rocha e recebendo na área para finalizar com estilo.

ESTATÍSTICAS
No total dos 90 minutos, o Athletico teve 5 finalizações (3 certas), 23% de posse de bola, 58% de eficiência nos passes e 11 faltas cometidas. Já o Flamengo somou 25 finalizações (11 certas), 77% de posse de bola, 88% de eficiência nos passes e 8 faltas cometidas. Os dados são do site Sofascore.

FLAMENGO 0x3 ATHLETICO
Flamengo: Diego Alves, Isla (Matheuzinho), Rodrigo Caio, Léo Pereira e Filipe Luís (Ramon); Willian Arão (Vitinho); Diego (Michael), Andreas Pereira, Everton Ribeiro (Kenedy) e Bruno Henrique; Gabigol. Técnico: Renato Gaúcho
Athletico: Santos; Marcinho (Khellven), Pedro Henrique (Zé Ivaldo), Thiago Heleno, Nicolás Hernández e Abner; Erick e Léo Cittadini; Terans (Pedro Rocha), Nikão e Renato Kayzer (Christian). Técnico: Alberto Valentim
Gols: Nikão (9-1º e 52-1º) e Zé Ivaldo (43-2º)
Expulsão: Khellven (35-2º)
Cartões amarelos: Erick, Renato Kayzer (A). Willian Arão, Kenedy (F).
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Local: Maracanã

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
4 – Cittadini rouba e aciona Marcinho, que toca para Renato Kayzer. Ele é derrubado por Filipe Luís na cara do gol. O VAR avisa. O árbitro verifica e marca o pênalti.
9 – Gol do Athletico. Nikão bate à esquerda de Diego Alves, que não alcança.
18 – Bom passe de Everton Ribeiro. Bruno Henrique sai na cara do gol, mas erra o domínio.
21 – Gabigol cruza. Rodrigo Caio ajeita de cabeça para Léo Pereira, na cara do gol. Ele finaliza para fora.
40 – Everton Ribeiro cruza. Bruno Henrique salta e acerta um chute acrobático. Santos defende.
46 - Abner lança. Nikão entra livre na ponta-direita e tenta o passe para Erick, livre na cara do gol. A zaga intercepta.
52 – Gol do Athletico. Contra-ataque. Terans para Nikão, que tabela com Kayzer, recebe livre na área e chuta forte, em cima do goleiro. Diego Alves aceita.
54 – Isla recebe na área e rola para Andreas Pereira, livre na marca do pênalti. Ele chuta para fora.

Segundo tempo
1 – Michael faz boa jogada. Bruno Henrique sai na cara do gol e chuta. Santos defende.
5 – Andreas Pereira chuta de fora e coloca no ângulo. Santos defende.
7 – Michael corta para o meio, passa por quatro e chuta. Santos espalma e a bola bate no travessão.
11 – Escanteio. Andreas Pereira cruza. Léo Pereira cabeceia perto, ao lado.
16 – Michael toca para Everton Ribeiro, na área. Ele gira e chuta. Santos defende.
17 – Isla cruza rasteiro. Gabigol chuta para fora.
43 – Gol do Athletico. Zé Ivaldo puxa o contra-ataque e lança Pedro Rocha, que avança e cruza rasteiro. Zé Ivaldo recebe na área e chuta no cantinho.