Em novo ciclo, Pia Sundhage renova seleção e cobra estilo 'mais imprevisível'

Após a dura eliminação nas quartas de final da Olimpíada de Tóquio, Pia Sundhage inicia novo ciclo na seleção brasileira feminina de futebol a partir desta sexta-feira. Com seis novidades na lista de convocadas, a treinadora quer renovar a equipe e mudar o estilo de jogo. A ideia central é imprimir maior velocidade e tornar a seleção "mais imprevisível".

"Queremos achar uma forma diferente de atacar, temos que nos tornar um pouco mais imprevisíveis. Para fazer isso, temos que mudar a velocidade de jogo. Isso significa também que quem não tem a bola precisa correr um pouco mais, realizar esses 'sprints' imprevisíveis, nas costas das linhas de defesa adversárias. Espero que possamos absorver um pouco desse novo estilo nesse primeiro passo pensando no futuro", disse a sueca, nesta quinta-feira.

Este novo estilo já será testado nesta sexta, no primeiro de dois amistosos que a seleção fará com a Argentina, na Paraíba. O primeiro está marcado para as 16 horas, no estádio Governador Ernani Sátiro, o Amigão, em Campina Grande. A outra partida será realizada na segunda-feira, no mesmo horário, no estádio Almeidão, em João Pessoa.

Além do estilo, Pia vai colocar à prova as novas jogadoras da seleção, caso da goleira Lorena (Grêmio), das defensoras Katrine (Palmeiras), Yasmin (Corinthians), Lauren (São Paulo) e Bruninha (Santos) e da meia Thaís (Palmeiras). Lauren e Bruninha foram promovidas da seleção sub-20.

"Algo que traz esse frescor são as novas jogadoras. Agora estamos lidando com as ideias de jogo. A Erica, por exemplo, já ouviu isso muitas vezes. Mas, para a Katrine, será a primeira vez que ela escutará sobre isso. Então é algo interessante, gosto da nossa atmosfera. Estou bem ansiosa para o jogo de amanhã (sexta). Espero ver algo um pouco diferente do que vimos nas Olimpíadas", projetou Pia.

A treinadora definiu como essencial estes dois amistosos para dar o tom do que será o novo ciclo da seleção sob o seu comando. "O fato de futebol feminino evoluir tão rápido, faz com que todas as equipes e seleções estejam cada vez melhores. Jogar com a Argentina duas vezes será de extrema importância para nós, e será divertido."

"Eu realmente gosto deste tipo de jogo, de lutar, competir contra o seu 'vizinho'. Até porque temos que ter isso para vencer algo. Sinto que esse é um jogo contra um bom oponente, que tirará a melhor performance de nós no campo. Isso é bom para todos nós, incluindo a comissão técnica."