Média Semanal

Em quatro semanas, casos novos de Covid-19 caem pela metade em Curitiba

(Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

Embora a turbulência ainda seja grande, Curitiba parece finalmente enxergar uma luz no fim do túnel da terceira onda da pandemia do novo coronavírus. Entre os dias 4 e 10 de abril, a 56ª semana desde o início da crise sanitária, o município registrou a quarta queda consecutiva no número de novos diagnósticos para a doença, além da primeira redução mais expressiva no número de mortes por Covid-19 em dois meses.

Entre o domingo e o sábado da última semana, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulgou um total de 4.497 casos novos da doença, com 207 óbitos. Na comparação com a semana anterior, entre os dias 28 de março e 3 de abril, quando a cidade havia anotado 5.690 diagnósticos e 248 mortes, nota-se uma redução de 20,97% no total de casos novos e de 16,53% no número de falecimentos por Covid-19.

Importante notar, entretanto, que os números ainda são elevados. O total de casos da semana 56, por exemplo, é o 13º maior para uma única semana dentro da série. Já o de óbitos é o quarto maior numa semana, atrás apenas dos números das três semanas imediatamente anteriores.

Ainda assim, os dados recentes não deixam de ser um tanto positivos. Tivemos, por exemplo, a quarta semana consecutiva com a capital paranaense vendo cair o total de casos divulgados, na esteira da gradual redução da taxa de contágio (Rt) da doença, hoje em cerca de 0,7 - o que indica uma tendência de arrefecimento da pandemia neste momento.

Além disso, é a primeira vez desde a ‘semana pandêmica’ 46, entre os dias 24 e 30 de janeiro, que o número de mortes cai de maneira mais expressiva na cidade. Entre as semanas 47 e 53 Curitiba havia registrado um verdadeiro salto no número de mortes por Covid-19, que passaram de 62 na última semana de janeiro para 258 na semana entre os dias 14 e 20 de março, recorde desde o início da pandemia.

Quadro da evolução da pandemia

Evolução da pandemia em Curitiba, semana a semana

Semana

Total de casos

Total de mortes

Variação de casos*

Variação de óbitos*

56

4497

207

-20,97%

-16,53%

55

5690

248

-15,20%

-3,13%

54

6710

256

-12,80%

-0,78%

53

7695

258

-10,89%

56,36%

52

8635

165

38,03%

38,66%

51

6256

119

23,66%

15,53%

50

5059

103

86,47%

35,53%

Evolução da pandemia no Paraná, semana a semana

Semana

Total de casos

Total de mortes

Variação de casos*

Variação de óbitos*

56

14636

655

-25,77%

-24,89%

55

19718

872

-37,49%

-32,61%

54

31542

1294

-10,36%

-11,55%

53

35189

1463

-3,88%

17,04%

52

36609

1250

-3,95%

38,43%

51

38114

903

9,02%

57,59%

50

34962

573

46,89%

27,62%

* Comparação em relação à semana imediatamente anterior. Fonte: Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesa)

Filas para vacinação duram até 4 horas

As filas presenciadas durante a campanha de vacinação contra a Covid-19 da primeira dose se repetiram nesta segunda-feira (12), para aplicação da segunda dose aos idosos com 75 ou 76 anos. A segunda aplicação é por escalonamento de idade e começou pelos idosos de 79 anos ou mais que tinham sido vacinados com a primeira dose de Coronavac. Mas o movimento se confundiu com a aplicação da primeira dose para idosos de 66 anos.

No drive-thru do Boa Vista, a fila de carros ficou quilométrica. De acordo com os idosos e familiares que estiveram na fila, a demora variava entre duas e quatro horas na fila para vacinação na Paróquia Santo Antônio, e de duas horas no Pavilhão da Cura, montado no Parque Barigui. No Posto de Saúde Vila Diana, no bairro Abranches, há relatos de pessoas que chegaram às 10h30 no local e tiveram de esperar até o começo da tarde para serem atendidos.

Questionada sobre o assunto, a Secretaria Municipal de Saúde disse, via assessoria, que existem 19 pontos de vacinação contra a Covid-19, dos quais 16 são fixos e outros 3 no sistema drive-thru. A SMS reiterou que as pessoas convocadas pelo cronograma que não tenham dificuldade para mobilidade deveriam buscar os pontos fixos. Os pontos de drive-thru são indicados para idosos com dificuldade de mobilidade.

Paraná registra quinta queda seguida

Os números semanais divulgados pela Secretaria do Estado da Saúde (Sesa) revelam que o Paraná, pela quinta semana consecutiva, viu cair o número de diagnósticos. Entre os dias 4 e 10 de abril foram confirmados 14.636 casos da doença no estado, uma queda de 25,77% com relação à semana anterior. Além disso, é a primeira vez É a primeira vez desde novembro de 2020 que o número se distancia de 20 mil casos.

A redução nos casos também reflete a baixa no número de óbitos em decorrência da Covid-19, sem contar os casos retroativos anunciados nos últimos dias. Na semana passada o Paraná registrou 655 mortes, redução de 24,89% com relação à semana anterior. A média móvel de sete dias confirma esta tendência. Em 10 de abril, a média era de 93 óbitos, apresentando queda de 49,4% com relação a 14 dias antes.

Leitos — Atualmente, a média de ocupação dos leitos exclusivos Covid-19 SUS no Paraná é de 78%. A média de ocupação dos leitos UTI adulto é de 94%, de UTI pediátrica 45%, de enfermaria adulto 68% e de enfermaria pediátrica, 41%. Os dados são da Secretaria da Saúde, atualizados em 11 de abril de 2021.

Para o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, a vacinação é a principal estratégia para o combate da pandemia. Segundo ele, a queda no pico de casos e de mortes pode ser reflexo da imunização.

No entanto, o Paraná ainda está em situação de transmissão comunitária do vírus – quando é impossível rastrear a origem da contaminação. A situação é agravada pela alta transmissibilidade das novas cepas do vírus, como a amazônica, que está em franca circulação pelo Estado. Por isso, a recomendação para os municípios é que utilizem todas as doses de vacinas disponíveis.

Até ontem, o Paraná vacinou 12,47% da população, totalizando 1.304.002 primeiras doses e 337.674 segundas doses.

Capital tem 638 novas infecções e 34 óbitos. UTIs tinham ocupação de 96% ontem

A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba registrou, nesta segunda-feira (12), 638 novos casos de Covid-19 e 34 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. Até o momento foram contabilizadas 4.238 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia.

Com os novos casos confirmados, 181.864 moradores de Curitiba testaram positivo para a Covid-19 desde o início da pandemia, dos quais 170.270 estavam liberados do isolamento e sem sintomas.

São 7.356 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus. Ontem, a taxa de ocupação dos 523 leitos de UTI SUS exclusivos para Covid-19 estava em 96%. A taxa de ocupação dos 814 leitos de enfermarias SUS Covid-19 estava em 78%. Havia 183 leitos vagos.

Paraná — A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta segunda-feira (12)mais 695 casos de Covid-19 e 83 mortes. Os números se referem a meses e semanas anteriores e não representam apenas as notificações das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 878.627 casos confirmados e 19.041 mortos pela doença.

Brasil — O Brasil registrou, nesta segunda-feira (12), 35.785 novos casos de Covid-19 e 1.480 óbitos. Os dados são do boletim diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite de ontem. Agora o total de casos na pandemia é de 13.517.808 e 354.617 óbitos em decorrência da doença.