Publicidade
Esporte

Em retorno pós-Copa, Neymar marca, e PSG estreia com vitória no Francês

 Neymar demorou menos de dez minutos para balan\u00e7ar as redes em seu retorno
Neymar demorou menos de dez minutos para balan\u00e7ar as redes em seu retorno (Foto: reprodução/twitter)

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Neymar demorou menos de dez minutos para balançar as redes em seu retorno ao Paris Saint-Germain, marcando o primeiro gol na vitória por 3 a 0 sobre o Caen, na estreia do time no Campeonato Francês, neste domingo, no Parc des Princes.

Rabiot e Weah completaram o placar, garantindo o resultado tranquilo contra uma equipe nitidamente inferior.

Neymar não atuava como titular pelo time parisiense desde fevereiro deste ano, quando fraturou o quinto metatarso do pé direito, em clássico contra o Olympique de Marseille. Ele havia jogado apenas os 15 minutos finais da Supercopa da França -vitória por 4 a 0 sobre o Monaco.

Neste domingo, Neymar não foi o único brasileiro em campo pelo PSG. O atacante teve companhia de Thiago Silva e Marquinhos, que tiveram atuação segura na defesa.

O PSG atuou com vários desfalques: Cavani e Mbappé foram os principais. A equipe comandada por Thomas Tuchel utilizou diversos jovens das categorias de base. O principal astro que fez companhia a Neymar no ataque foi o argentino Angel Di Maria.

A partida também marcou a estreia de Gianluigi Buffon no Campeonato Francês. O veterano goleiro foi ovacionado pela torcida a cada toque na bola e mostrou a habitual segurança quando exigido, com uma importante defesa na primeira etapa.

Além de fazer festa para Buffon, a torcida parisiense mostrou estar de bem com Neymar. O brasileiro teve seu gol muito festejado, e o nome gritado pela torcida no Parc des Princes. Foram quase seis meses sem vestir a camisa do clube desde a lesão em fevereiro.

Os dois gols do PSG na primeira etapa surgiram de falhas da defesa do Caen. No primeiro, o goleiro Samba errou a saída de bola, deixando Nkunku livre para lançar Neymar. O brasileiro só tocou no canto direito para abrir o placar.

No segundo, novo erro de passe, com Rabiot encontrando Di Maria livre no contragolpe; o argentino devolveu o passe para o mesmo Rabiot, que empurrou para as redes. O terceiro do PSG, já no final da partida, foi a pior das falhas: Samba tentou driblar Timothy Weah dentro da própria pequena área, e acabou desarmado, vendo a bola ir para o gol.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES