Publicidade
Balanço da pandemia

Em um mês, casos de Covid-19 no Paraná crescem 544%

Testes de coronavírus no Paraná: doença cresce de forma assustadora
Testes de coronavírus no Paraná: doença cresce de forma assustadora (Foto: Franklin de Freitas)

A crise do coronavírus avança de forma assustadoramente acelerada no Paraná, ao ponto de em pouco mais de um mês o número de casos confirmados da doença no estado ter avançado 544%, enquanto o número de óbitos saltou 311%. É o que mostra um levantamento feito pelo Bem Paraná com base nos dados divulgados diariamente pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

No dia 1º de junho, o Paraná havia registrado um total de 4.829 contaminações pelo novo coronavírus, com 190 mortes por conta da Covid-19. Já o boletim mais recente da Sesa, divulgado ontem, mostra que o estado já soma 31.120 casos, com 781 mortes.

Além disso, até o começo do mês passado, 254 municípios paranaenses (63,7% do total) haviam registrado casos da doença e 75 (18,8%) tinham famílias enlutadas. Hoje, já são 368 municípios do estado (92,2% do total) com casos de Covid-19 e 156 (39,1%) com mortes decorrentes de complicações causadas pela infecção.

Entre as 31 cidades não afetadas pela doença até aqui, quase todas tem menos de 10 mil habitantes. A exceção é Ventania, na regional de Telêmaco Borba, com população de 11.892.

Já entre as grandes cidades, com mais de 50 mil habitantes, todas já foram atingidas, sendo que Cascavel e Toledo apresentam as maiores taxas de incidência de casos, com 1.016 e 701,82 para cada grupo de 100 mil habitantes. As maiores taxas de óbito, por outro lado, foram registradas em Cascavel e Fazenda Rio Grande, com 17,96 e 13,97 para cada 100 mil habitantes.

Índice Paraná definirá quarentena mais dura

Na última terça-feira, quando o Governo do Paraná impôs o que chamou de ‘quarentena mais rígida’ em sete das 22 regionais de saúde do Paraná, o diretor geral da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), Nestor Werner Junior, explicou que o Índice Paraná, medido por meio de três dados diferentes (casos por 100 mil habitantes, óbitos por 100 mil habitantes e taxa de ocupação de leitos em hospitais), irá basear as decisões do governo no que diz respeito à adoção de medidas mais ou menos restritivas socialmente.

Na ocasião, Nestor ressaltou que ao longo de 100 dias o Paraná ‘travou um bom combate’, mantendo o número de casos novos e de óbitos dentro de um linear. “Acontece que nos últimos dias experimentamos um número de casos novos por dia e número de óbitos por dia maior do que vínhamos acompanhando”, disse ele, explicando que a adoção de medidas mais duras se fez necessária para evitar um possível colapso do sistema de saúde. “Caso a gente não adote essas medidas, é muito provável que a escalada leve a um descontrole no número de casos, a um possível colapso no sistema de saúde, a falta de leitos, a falta de capacidade de atender as pessoas”.

Isolamento social permanece abaixo do ideal

De acordo com o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, a expectativa do governo estadual era que a taxa de isolamento social no estado permanecesse, ao longo de todo o enfrentamento da pandemia, entre 50 e 55%. As únicas datas em que o estado vinha conseguindo alcançar tal índice, contudo, era aos domingos, quando tradicionalmente a população já se locomove menos.

Além disso, chama a atenção que desde a decretação de quarentena mais restritiva em parte do estado, no último dia 30, os índices de isolamento social não aumentaram no estado. Entre quarta e sexta-feira, por exemplo, variaram entre 37 e 39%. No sábado, chegou a 42%. Não à toa, as autoridades públicas, especialmente as da área sanitária, insistem sempre na importância de as próprias pessoas colaborarem e respeitem as medidas de distanciamento e isolamento social para que a pandemia não cause ainda mais estragos.

A evolução da pandemia de coronavírus no Paraná

1º de junho
Casos confirmados 4.829
Total de óbitos 190
Municípios com casos 254
Municípios com óbitos 75
Taxa de incidência (casos)* 42,23
Taxa de incidência (óbitos)* 1,66
5 de julho
Número de casos 31.120
Número de óbitos 781
Municípios com casos 368
Municípios com óbitos 156
Taxa de incidência (casos)* 272,17
Taxa de incidência (óbitos)* 6,83
Cidades com mais casos (número absoluto)
Curitiba 6.835
Cascavel 3.337
Londrina 1.673
Maringá 1.401
Toledo 987
Cidades com mais óbitos (número absoluto)
Curitiba 189
Londrina 84
Cascavel 59
São José dos Pinhais 36
Colombo 22

Grandes cidades com maior taxa de incidência**
Cascavel 1.015,97
Toledo 701,82
Cianorte 687,48
Pinhais 438,87
Campo Largo 430,3
Grandes cidades com maior taxa de óbito**
Cascavel 17,96
Fazenda Rio Grande 13,97
Londrina 14,74
Piraquara 15,92
Rolândia 13,52
* Taxa por 100 mil habitantes
** Mais de 50 mil habitantes

Paraná soma 781 mortes e Litoral entra em ‘lockdown parcial’

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (5) 879 novas confirmações e 32 mortes pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma agora 31.120 casos e 781 mortos em decorrência da doença. Após a divulgação dos números, o secretário de Saúde, Beto Preto, voltou a pedir que a população mantenha o isolamento social e anunciou que a primeira regional de saúde, do Litoral do Paraná, deve ser incluída na quarentena restritiva a pasrti5rt de hoje, porque os casos estão aumentando muito.

“Os municípios do Litoral, principalmente Paranaguá, têm apresentando muitos casos, por isso devemos incluir a região dentro quarentena restritiva. E quero reforçar a necessidade de isolamento social, distanciamento e cuidados com a higiente. Nosso sacrifício não pode ser em vão”, disse o secretário.

O boletim diz que há 795 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados hoje. 634 pacientes estão em leitos SUS (240 em UTI e 394 em leitos clínicos/enfermaria) e 161 em leitos da rede particular (61 em UTI e 100 em leitos clínicos/enfermaria). Quanto às mortes nas últimas 24 horas, todas são de pacientes que estavam internados. São 12 mulheres e 20 homens, com idades que variam de 28 a 92 anos.

Curitiba
O 100º boletim da Covid-19, divulgado neste domingo (5) pela Secretaria Municipal da Saúde, aponta para mais 7 mortes de moradores da cidade em decorrência da Covid-19. Além disso, há mais 348 pessoas de Curitiba que testaram positivo para o novo coronavírus.

Os óbitos referem-se a quatro homens e três mulheres, com idades entre 47 e 79 anos. Todos estavam em UTI de hospitais da cidade há mais de uma semana antes do falecimento. Das sete mortes, seis ocorreram nas últimas 24 horas.

Com os números, Curitiba chega a um total de 189 óbitos e a 6.835 casos de moradores confirmados para covid-19.

A nova atualização também traz a informação de que 3.803 pessoas já puderam ser liberadas do isolamento, sendo consideradas “recuperadas”. O total de casos ativos em moradores da capital é de 2.843 pessoas. Outros 518 estão em investigação, aguardando o resultado de exames laboratoriais.

Entre os casos já confirmados, 493 pacientes estão internados em hospitais de Curitiba, 179 deles em UTI.

Brasil

O Ministério da Saúde registrou ontem novos 602 óbitos pela covid-19 no Brasil, alcançando 64.867 vítimas. A pasta também confirmou 26.051 contaminações nas últimas 24 horas. O País tem 1.603.055 casos da doença. Do total de casos, 906.286 estão recuperados e 631.902, em acompanhamento.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES