Publicidade
Alerta

Curitiba confirma oito novos casos de sarampo, cinco com transmissão secundária

(Foto: Luiz Costa/SMCS)

Até esta quinta-feira (19/9), Curitiba registra 14 casos de sarampo no município neste ano – e oito deles são novos. O boletim da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), divulgado nesta quinta-feira, traz a confirmação de apenas um novo caso de sarampo em Curitiba – as informações do boletim, porém, são referentes até a data de sábado (14/9). Após o fechamento do boletim da Sesa, entretanto, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba recebeu a confirmação de exames outros sete casos.

Do total de 14 confirmados, nove casos são importados (sete de São Paulo, um de Santa Catarina e um de Sergipe/Alagoas) e em cinco casos a transmissão foi secundária (quando uma pessoa com caso importado transmite para outra que não viajou). A idade mediana dos pacientes é 24 anos.

Além dos casos confirmados, a SMS investiga, em parceria com a Sesa, cerca de cem casos suspeitos da doença no município – grande parte dos casos só pode ser descartada ou confirmada, após a realização de segunda coleta de exame, após 15 dias.

O boletim divulgado pela Secretaria da Saúde do Paraná, indica, ainda, que 147 casos estão em investigação e um grupo de 20 pacientes já tiveram os exames negativos para a doença.

O Paraná segue vacinando contra o sarampo os bebês com idade entre 6 meses e menores de 12 meses, conforme recomendação do Ministério da Saúde. Chamada de ‘dose zero’, a aplicação tem o objetivo de proteger esta faixa etária considerada vulnerável à infecção.

De acordo com o Calendário Nacional de Vacinação, todos devem receber a dose da vacina tríplice viral aos 12 meses e também aos 15 meses. Pessoas com idade entre um e 29 anos precisam ter duas doses de vacina e, acima desta faixa, até 49 anos, é necessário ter uma dose.

A secretaria estadual da Saúde reforça que a única maneira de evitar o sarampo é tomar a vacina. Além de imunizar contra a doença, a tríplice viral protege também contra a rubéola e a caxumba.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES