Celebridades

Emissora CBS pagou US$ 9,5 milhões para atriz se calar sobre assédio, diz NYT

A atriz Eliza Dushku.
A atriz Eliza Dushku. (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A emissora americana de televisão CBS pagou à atriz Eliza Dushku a quantia de US$ 9,5 milhões (ou o equivalente a R$ 37,1 milhões) em um acordo para que ela não se manifestasse sobre acusações de assédio sexual de que teria sido vítima. As informações são do jornal The New York Times.

Segundo a publicação, a atriz de "Buffy: A Caça Vampiros" foi contratada em 2017 para aparecer em três episódios da série "Bull", exibida no horário nobre na grade da CBS. Durante as filmagens, o ator principal da atração, Michael Weatherly, teria feito comentários sobre a aparência de Dushku, além de proferir piadas sobre estupro e sugerir sexo a três. Após confrontá-lo, ela teria sido dispensada da série.

Num processo interno e confidencial na CBS, a emissora ofereceu os US$ 9,5 milhões —quantia equivalente ao que ela teria recebido caso permanecesse no elenco de "Bull" por quatro temporadas.

O acordo só veio à tona porque, desde agosto, o canal de televisão vem passando por uma investigação interna proposta pela própria empresa. Um escritório de advocacia foi contratado para examinar acusações de assédio movidas contra Leslie Moonves, ex-presidente da CBS.

Moonves, que deixou o cargo em setembro após 15 anos, enfrenta queixas de pelo menos 12 mulheres que trabalharam com ele.

Segundo o relatório dos advogados, a que o New York times teve acesso, o caso de Dushku é "emblemático" de problemas em todos os níveis da CBS.