Emmy Awards 2020: Jimmy Kimmel brinca com a pandemia na abertura do evento

O Emmy Awards foi o primeiro grande evento da temporada de premiações a acontecer durante a pandemia do novo coronavírus. Enquanto o Globo de Ouro e o Oscar se salvaram dos efeitos da quarentena, tendo acontecido presencialmente ainda em 2020, o Emmy teve de cumprir rígidos protocolos de higiene para poder premiar as melhores séries e programas da televisão norte-americana.

Em 2019, o Emmy inovou ao não ter um apresentador. No entanto, com as medidas de distanciamento social, a premiação aconteceu novamente com um mestre de cerimônias, o comediante Jimmy Kimmel. Em seu monólogo inicial, a transmissão usou imagens de arquivo de outras edições mostrando astros e estrelas como Jon Hamm e Elisabeth Moss na plateia antes de revelar que o evento estava acontecendo, na verdade, em um auditório vazio. "Exatamente como na minha formatura", brincou o humorista.

Kimmel não se esquivou da questão da pandemia em suas piadas: "É melhor apresentar esse prêmio do que sintomas", ele disse logo no início, e ainda fez uma autocrítica: "Pode parecer fútil e desnecessário entregar prêmios no meio de uma pandemia, mas sabe que também é fútil e desnecessário? Entregar prêmios em qualquer outra época do ano. O que vamos fazer não é necessário, mas é divertido".

Durante a cerimônia, Kimmel voltou a falar sobre a pandemia, mas tingindo a questão com tons um pouco mais políticos - as eleições norte-americanas ocorrem em menos de dois meses. "Watchmen é uma série muito realista, tirando a parte em que eles mostram gente do interior do Oklahoma usando máscara", brincou ele, sobre o fato de muitos habitantes dos Estados do sul dos EUA se recusarem a usar máscara durante a pandemia. "É claro que não temos plateia, isso é o Emmy, não o comício do Trump", ele disse.

Algumas poucas atrações, no entanto, estiveram presentes, como Jennifer Aniston, que apresentou a primeira categoria, de melhor atriz em série de comédia, para Catherine O'Hara, de Schitt's Creek.