Publicidade
Quarentena

Empresária desabafa sobre fiscalização e Greca responde: 'Guarde sua revolta contra o vírus que mata'

(Foto: Reprodução)

O desabafo da empresária Elisa Ruppenthal, dona da loja de Calçados CompreAki, em Santa Felicidade, nas redes sociais sobre a fiscalização durante a quarentena restritiva rendeu uma resposta do prefeito de Curitiba, Rafael Greca. O post de Elisa, feito na tarde de quarta (8), teve 299.657 visualizações, 1,6 mil comentários e 9,9 mil compartilhamentos até as 20h30 desta quinta (9). Nesta quinta, o prefeito respondeu a postagem. 

No post, Elisa disse que estava em sua loja de portas fechadas, fazendo registros em redes sociais e pagando contas, quando dois fiscais da prefeitura e três guardas municipais pediram para entrar. "Fui informada que os comunicados que tinha do lado de fora com telefone da loja deveriam ser retirados, porque eu não poderia trabalhar com delivery ou redes sociais. Eles perguntaram se eu tinha alvará para vendas online. Opa, o meu alvará é do ano de 2000, naquela época não havia vendas online. Eles disseram que eu não poderia fazer essas vendas. Perguntei se eu podia deixar a vitrine da loja aberta. Eles disseram 'Não pode, porque você está instigando os consumidores a comprar'. As vitrines teriam que estar fechadas. Eles disseram que eu teria o tempo de eles irem até o final da rua. E se tivesse uma fresta na loja, ou qualquer cartaz, eu seria multada. Eu pergunto agora, aqueles que receberam nosso voto, excelentissimo governador Ratino junior, vereadores, excelentíssimo Rafael Greca, qual de vocês vai nos defender? Falo por mim e muitos empresários. No começo da pandemia, eu tinha 12 colaboradores, agora eu tenho seis. Que tipo de democracia, estamos numa ditadura, e não me avisaram?", desabafou a empresária, que pediu o apoio de outros empresários.  

No post, o prefeito Rafael Greca respondeu: "Fui indagar a fiscalização. A senhora estava com a loja aberta, a vitrine exposta e estava atendendo dentro da loja. A senhora alegou ter e-commerce e foi orientada pela equipe a manter a loja fechada e vender só por e-commerce. Não foi sequer notificada. Contrariar decreto sanitário do governador do Estado chama fiscalização. Guarde sua revolta contra o vírus que mata. Está pesado mas vai passar. Mais rápido, se a gente cooperar".

Durante a noite, a empresária ainda participou de uma live com a pré-candidata a vice-prefeita pelo Partido Novo, Geovana Conti. 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES