Luto e luta

Enfermeira publica relato emocionante sobre rotina dos profissionais de saúde na linha de frente

O Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná (Simepar) publicou na noite de ontem, em sua página no Facebook, um emocionante relato de uma enfermeira que está na linha de frente no combate ao coronavírus. A publicação, feita originalmente pela enfermeira carioca Taisa Land, foi republicada recentemente por profissionais paranaenses, ganhando repercussão local.

A postagem começa contando sobre uma mulher cujo marido havia falecido há pouco tempo. Ela, que também estava internada, foi informada que precisaria ser intubada. Foi quando pediu ao médico que não fizesse isso. "Eu sei que não voltarei", teria dito a paciente.

A enfermeira relata, então, ter agradecido neste momento por estar de máscara e face shield. "Assim, ninguém pode ver as lágrimas que escorriam. Tive que sair, andar pelo corredor sem rumo, respirar e voltar", escreve.

Ao retornar, notou que o paciente ao lado da mulher que seria intubada chorava. A paciente ainda pediu para ligar para a filha, com quem conversou no viva voz, em um possível último encontro entre as duas.

Mais tarde, outro paciente na mesma enfermaria teve o seu quadro de saúde agravado. "Estávamos ao lado dele, fazendo tudo que podíamos para estabilizar sua pressão. Ele, ainda consciente, perguntou: 'Posso dormir? Estou com medo de dormir e não acordar'".

A resposta foi que o paciente poderia dormir, que a equipe médica estaria ali cuidando dele. O homem, entretanto, respondeu que sabia que morreria naquela noite. E estava certo.

"Aquele que chorou pela paciente ao lado agora fechou o olho para não ver o da frente. E com certeza estava pedindo a Deus para que não fosse o próximo. É inexplicável o que estamos vivendo. Jamais seremos os mesmos. Que vírus maldito!”, finaliza o relato.