Erupção de vulcão obriga retirada de 8 mil nas Filipinas

Um vulcão próximo à capital das Filipinas lançou cinzas a até 15 quilômetros no céu neste domingo, 12, provocando a retirada de milhares de pessoas de áreas afetadas, o cancelamento de voos e alerta para uma possível erupção explosiva e um tsunami vulcânico. O vulcão Taal, um dos mais ativos do país, fica no meio de um lago a cerca de 70 quilômetros ao sul do centro da capital, Manila. Tremores sacudiam a área e relâmpagos foram vistos no meio da coluna de vapor e cinzas.

O Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia (Phivolcs, na sigla em inglês) elevou seu nível de alerta para 4 em uma escala até 5 - o que significa que uma "erupção explosiva perigosa é possível em horas ou dias".

O Phivolcs também alertou sobre os possíveis riscos de um tsunami vulcânico e correntes rápidas de gás quente e matéria vulcânica que podem atingir áreas ao redor do lago Taal, um popular refúgio de fim de semana.

Pelo menos 8 mil moradores da ilha do vulcão e de outras cidades seriam removidos de suas casas - 6 mil já haviam sido retirados, informou o Conselho Nacional de Redução de Desastres e Gerência de Riscos. Autoridades locais cancelaram as aulas desta segunda-feira, 13, e pediram que as pessoas ficassem em casa. O secretário de Transporte, Arthur Tugade, pediu às autoridades da aviação que tomassem as providências necessárias para evitar tragédias.

A última erupção do Taal foi em 1977. As Filipinas ficam no "anel de fogo" do Pacífico, onde as placas tectônicas colidem, causando terremotos e atividade vulcânica. (Com agências internacionais).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.