Publicidade
Hora de iniciar a pesquisa

Escola: dicas de como escolher a melhor opção

Espaço físico das escolas deve pesar na hora da escolha
Espaço físico das escolas deve pesar na hora da escolha (Foto: Divulgação)

Estamos do começo do segundo semestre escolar e, para quem tem filhos pequenos com idade escolar, esse é o período de começar a pesquisar mais a fundo as escolas nas quais pretente matricular o seu filho. Além de orientações com amigos, os pais devem começar a visitar as instituições. E nada melhor para conhecer uma escola do que avisitá-la durante o funcionamento ordinário dela, quando as crianças estão em sala de aula ou durante o recreio. A formação escolar é, sem dúvida, uma das maiores preocupações de pais e responsáveis quando se trata do futuro dos seus pequenos. Além dos valores que os guiarão, com quem irão se relacionar e como vão interagir em sala de aula são pontos que, na hora de buscar uma instituição de ensino, devem ser muito bem analisados para estar alinhados com as expectativas de seus responsáveis.

Encontrar a escola ideal pode levar algum tempo, já que a decisão vai envolver aspectos emocionais e de identificação com a proposta. O diretor acadêmico da Maple Bear Canadian School, Peter Visser, sugere que a pesquisa seja feita com a máxima antecedência. Além disso é preciso considerar pelo menos três opções, tendo em vista possíveis dificuldades com a matrícula. O tempo de procura e dedicação a esse processo deve ser de um ano, uma vez que algumas escolas têm uma procura acima do número de vagas que oferece. Outros pontos são relevantes e merecem atenção especial durante as visitas.

Metodologia
O aspecto pedagógico deve ser o principal fator a ser considerado na hora de matricular os filhos. “É importante investigar como é a metodologia e quais são os valores da instituição. As escolas precisam ter o foco em estimular a investigação das crianças, fazer com que despertem a curiosidade e a paixão por aprender. Para isso, a escola tem que permitir que o aluno faça descobertas, não tenha medo de arriscar uma resposta, aprenda com o erro, tenha autonomia e assuma responsabilidades”, ressalta Visser.

A prática pedagógica deve, acima de tudo, estar alinhada com a proposta de educação da família, assim como ser o principal foco de atenção nessa etapa da escolha. Outros fatores, como a localização, proximidade com o lar e a carga horária oferecida também podem influenciar na escolha.

Espaço físico
A oferta de espaços multidisciplinares, como uma quadra poliesportiva, laboratórios, áreas externas e internas de lazer é também um aspecto a ser considerado. Vale ficar atento à organização, bem como se as salas de aula e espaços comuns. O número de alunos por sala de aula também merece atenção.

É importante ressaltar que, embora a criança até possa acompanhar os pais durante as visitas, quanto menor a idade, menos capaz será de discernir pontos relevantes a serem identificados. “Eles estarão apenas buscando algo que, aparentemente, traga diversão e conforto e estes não devem ser o foco de uma escolha tão vital na sua vida”, pontua Visser. Portanto, o lembrete: a decisão deve ser tomada, única e exclusivamente, pelos pais ou responsáveis.

Equipe
Atenção especial aos profissionais que estarão diretamente em contato com os alunos. Formação e experiência da equipe, além da periodicidade da participação em atualizações e treinamentos devem ser considerados. “O programa de formação e atualização contínua dos professores, assistentes e especialistas deve ser conhecido pelas famílias e estar dentro das diretrizes do MEC”, ressalta o diretor da Maple Bear. Vale lembrar que, quando se trata de escolas com ensino de inglês, há desde as escolas internacionais, que seguem o currículo de seu País de origem e possuem certificações válidas em todo o mundo, até as bilíngues, que precisam estar adequadas às normativas brasileiras, mas ensinam em dois idiomas, desenvolvendo a fluência dos alunos nesta nova língua.

Referências
Uma outra dica é buscar referências com pessoas próximas, que têm os mesmos valores e princípios que a família. “Naturalmente, os pais de alunos já matriculados podem dar uma perspectiva interessante na hora de procurar uma nova escola, afinal, compartilham do mesmo interesse de proporcionar aos filhos a melhor educação possível”, lembra o Visser.

Extras
Para os especialistas, datas comemorativas, cursos extra curriculares e conquistas dos alunos e ex-alunos devem ser considerados na escolha, já que contam a história da instituição escolar e dão credibilidade ao trabalho desenvolvido. “Para algumas famílias, atividades extra curriculares complementares também podem fazer a diferença, em vista da rotina familiar e expectativas de desenvolvimento das habilidades da criança”, pontua Visser.

Transparência
Vale frisar que a visita inicial, que deve ser sempre agendada, deve ser o máximo transparente possível, com todos os aspectos pedagógicos devidamente explicados e os espaços acessados pela família. Dúvidas devem ser esclarecidas e retornos com pendências podem ser dados pela escola no prazo combinado.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES