Sustentabilidade

Escola no Cajuru inova e faz de contêineres salas de aulas

Considerada a capital ecológica do Brasil e eleita em 2012 pela Organização das Nações Unidas como referência em economia verde, Curitiba ganhou mais uma boa nova ambiental. É que o Colégio Adventista Centenário, no Cajuru, resolveu inovar. Precisando de mais espaço para receber os alunos que estudam em período integral, a instituição uniu o útil ao necessário e transformou contêineres, cujo fim seria o lixo, em salas de aula. Uma forma ecologicamente correta para ampliar a sua infraestrutura e ensinar na prática a sustentabilidade.

O local, desde a topografia do local até sua estrutura, foi feito em respeito ao meio ambiente. Por exemplo, não foi feita escavação e o piso emborrachado é feito de pneus. Além disso, toda a estrutura de aço do contêiner é totalmente acabada por dentro com materiais de garrafa pet, permitindo um bom isolamento térmico e acústico. Até a iluminação e ventilação foi um tópico pensado no projeto, com o espaço contando com luz natural. Para a escola, outra vantagem foi o tempo de obra — em três semanas estava tudo pronto para receber até 90 alunos da educação infantil até o 5º ano. E entre os jovens, a novidade já é um sucesso.

Eles aceitaram muito bem a novidade, até porque as salas ficaram bem aconchegantes, com bom espaço e temos também um pátio na frente dessas salas. Além disso, eles aceitaram muito bem por saber que estão defendendo também o meio ambiente, afirma a diretora do colégio, Rovena Carniatto.
Libras — A Secretaria de Estado da Educação junto com o Centro de Apoio aos Profissionais da Educação de Surdos do Paraná oferecerão nova oficina de Técnicas de Interpretação no Contexto Escolar. Voltada aos tradutores e intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) que trabalham nas escolas, a formação acontece em Curitiba, em 8 de agosto, na sede do CAS-PR.