Farc

Esposa de ex-guerrilheiro é servidora do Paraná

A esposa do ex-guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Olivério Medina, preso na rodoviária de São Paulo em 2005, é funcionária da Secretaria de Educação (SEED) do Paraná. Angela Maria Slongo foi, em janeiro de 2007, cedida pelo governador Roberto Requião (PMDB) à Secretaria Especial da Pesca (status de ministério), onde foi nomeada pelo ministro Altemir Gregolin para o cargo de oficial de gabinete II, com salário de R$ 2.518,42.

A nomeação da paranaense no governo Lula (PT) ocorreu apenas cinco meses depois do Padre Medina – como também é conhecido Olivério – ganhar do Conselho Nacional de Refugiados (Conare) status de refugiado político.

O Ministério da Justiça nega pressões políticas, e garante que a decisão do Conare foi técnica. Porém, é pública a relação de Medina com partidos e movimentos de esquerda. Setores do PT, PSB e PCdoB formaram o Comitê para a Libertação do ex-guerrilheiro.

Quando Angela foi transferida para o governo federal, Medina estava preso em Brasília, sob regime domiciliar, a pedido da Colômbia, onde é acusado de atos terroristas e assassinatos.

A Casa Civil do governo Requião garante que a funcionária da SEED não recebe salário do Estado e que é funcionária de carreira, com 22 anos de serviços prestados. Moradora de Medianeira – região Oeste do Paraná, Angela é professora e tem uma filha de três anos com Padre Medina. Na Secretaria da Pesca, sua função seria de fiscalizar a aplicação de recursos repassados pelo governo federal para entidades do terceiro setor (ONGs e OSCIPs).

Indícios — O presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia, encaminhou ontem um pedido de informações à presidência da República sobre a contratação de Angela. Informações publicadas pela revista Veja (colunista Diogo Mainardi) na edição da semana, revelam que a professora foi nomeada para o cargo em Brasília em 2 de dezembro de 2006.

Pesquisa no Portal Transparência Brasil revela que a funcionária da SEED recebeu desde 2007, além do salário, outros R$ 4,7 mil dos cofres da União. Segundo o Portal, no ano passado Angela recebeu R$ 1,9 mil dos cofres públicos para pagar diárias e R$ 2,3 mil relativos a indenizações e restituições. Nos primeiros cinco meses de 2008, a professora já contabiliza R$ 458,46 em diárias e R$ 73,35 com indenizações.

Em março do último ano, foram R$ 2,3 mil em ajuda de custo. Em junho, ela recebeu R$ 510,00 para o pagamento de despesas com 4,5 diárias, no período entre os dias 17 e 21, nas cidades catarinenses de Florianópolis, Laguna e São Francisco do Sul.
Já em outubro, a funcionária da Secretaria de Pesca recebeu R$ 791,28 para o pagamento de despesas com 7,5 diárias, no período entre 29 de setembro e seis de outubro, em Vitória e Piúma, no Espírito Santo. No final do mês seguinte, Angela viajou para Salvador e gastou R$ 574,79 com 4,5 diárias. Nos primeiros cinco meses deste ano, a paranaense a já recebeu R$ 458,46 relativos ao pagamento de 3,5 diárias em São Paulo em fevereiro.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, a esposa do ex-guerrilheiro afirmou que precisava de um emprego em Brasília naquele período e mandou currículo para vários órgãos. “Me chamaram primeiro para a Secretaria”, alega.


Colaborou o colunista Marcus Vinícius