R$ 27 milhões

Esposa sedava o marido idoso e usava terreiro para desviar fortuna

Uma mulher de 49 anos é acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) de montar um esquema para roubar toda a fortuna do próprio marido, um idoso de 88 anos que vinha sendo sedado e induzido a transferir todo o seu patrimônio, avaliado em R$ 27 milhões.

De acordo com informações do MP-RJ e do Fantástico, da TV Globo, Wandrea Sobreiro usava um terreno de umbanda para lavar o dinheiro que roubava do marido. Ela ainda vive na cobertura de Wilde Pinheiro Lima, empresário do ramo de refrigerentes, na Praia da Barra.

O idoso foi resgatado da própria casa pela polícia, após cerca de cinco anos sendo impedido de contatar a família. Ele apresentava sinais de maus tratos e desnutrição e vinha sendo vítima da esposa há cerca de dois anos, quando Wandrea descobriu a fortuna do marido em um banco e começou a sedá-lo para causar confusão mentl e obrigar o marido a assinar cheques, que eram usados para transferir dinheiro da conta dele para a conta dela.

Ao todo, a mulher teria desviado cerca de R$ 27 milhões do marido, dos q uais R$ 16 milhões entraram na conta do terreiro. A família do empresário procurou o Min istério Público em 2016, cinco anos após Wandrea e Wilde, que na época tinham 42 e 80 anos, respectivamente, terem iniciado um relacionamento.

De milionário e vivendo numa cobertura em um bairro nobre do Rio de Janeiro, hoje Wilde vive com a filha do primeiro casamento (que durou 30 anos) e sobrevive com uma renda de R$ 10 mil, que sai da casa da mãe de santo Genise, um dos investigados no processo, para que possa custear minimamente a vida com medicamentos e outras contas básicas.