Itália

Estralos em, ponte que desabou faz bombeiros interditarem área de Gênova

O corpo de bombeiros decidiu suspender a entrada de pessoas e veículos 'na zona vermelha' de Gênova, devido aos ruídos procedentes do viaduto  que desabou na terça-feira, 14. O acidente causou a morte de 43 pessoas. 
Os rangidos foram ouvidos à noite, precedentes de uma parte da ponte que ainda ficou de pé sobre as casas de duas ruas. Com isso, foi suspensa a entrada de moradores que, por turnos, retiram os pertences pessoais das casas. 
Toda a área ficará fechado enquanto é verificado o estado do resto do viaduto. O presidente da Região. Ligúria, Giovanni Toti, e o prefeito der Gênova, Marco Bucci, entregarão nesta segunda-feira, 20, as primeiras 11 casa para cerca de 600 pessoas que foram desalojadas de 11 edíficios, localizados justamente abaixo  do que resta do viaduto e que deverão ser demolidos. 
A concessionária das estrada em Gênova, Autostrade per L'Italia, que pertence à Atlantia, e que era responsável pela manutenção da ponte, retirou a exigência de pagamento de pedágio em toda a região.