Trânsito

Estudo coloca Curitiba como a mais motorizada do País

Um estudo divulgado na sexta-feira pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) sobre a atual situação dos acidentes de trânsito nas capitais do país coloca Curitiba como uma das capitais com as mais altas taxas de motorização e mortalidade entre as 27 capitais brasileiras. O estudo foi realizado entre 1996 e 2006 e mensurou dados como frota de veículos, acidentes, mortes, número de internações e estimativa de população.

De acordo com a pesquisa, em 2006 o País computou aproximadamente 14,7 milhões de veículos circulando em ruas e rodovias, com um total de 328,8 veículos para cada mil habitantes. Em Curitiba, neste mesmo ano, eram mais de 990 mil veículos circulando pelas ruas da Capital, com um total de 553,8 automóveis para cada mil habitantes. A taxa já era a maior do país. Em segundo lugar apareceu Goiânia, com 512 automóveis para cada mil pessoas.

Quanto às taxas de mortalidade — como sendo número de óbitos por lesões decorrentes de acidentes de trânsito em relação à população — nos 10 anos estudados o conjunto de capitais apresentou queda até 2000, elevação no ano seguinte e manutenção dos valores até 2006. As taxas de mortalidade nas Capitais mostram-se mais baixas do que as verificadas no país com um todo, evidenciando, talvez, acidentes menos graves ou maior acesso a atendimentos médicos-hospitalares.

As vítimas são, em sua maioria, do sexo masculino, numa razão aproximada de 3,8 homens para cada mulher. De acordo com o estudo, em 2005 foram registradas 7.555 mortes por acidentes de trânsito no país, num total de 17,2 óbitos para cada 100 mil habitantes. Em Curitiba, neste mesmo período, 432 pessoas morreram, o que corresponde a 24,6 mortes para cada 100 mil habitantes. A taxa é superior à média nacional e Curitiba aparece em quinto lugar no que se refere às taxas de mortalidade. Campo Grande, Boa Vista, Goiânia e Palmas estão à frente da capital paranaense.

Quanto ao número de acidentes de trânsito — considerado acidente aquele com pelo menos uma vítima, fatal ou não — o estudo aponta que em 2006 foram registrados quase 102 mil acidentes em todo país, com uma taxa de 229,1 para cada 100 mil habitantes. No mesmo período nas ruas de Curitiba, foram registrados 6.973 acidentes com vítimas, num total de 389,9 para cada 100 mil pessoas.

Mesmo que bem acima da média nacional, Curitiba aparece na nona colocação no ranking de acidentes com vítimas, liderado pela capital de Roraima, Boa Vista, que computou 857,2 acidentes para cada 100 mil habitantes. Vale lembrar que Curitiba conta com uma população de quase 1,8 milhão de pessoas e Boa Vista não ultrapassa os 250 mil habitantes.