EUA: locadoras de veículos aumentam esforços para adicionar veículos elétricos

Os clientes das locadoras de veículos logo poderão ver mais opções de veículos elétricos nos aeroportos e outros lugares onde desejam reservar uma viagem.

A indústria de aluguel de automóveis, há muito um grande comprador de novos modelos no setor automotivo, está intensificando os esforços para adicionar mais veículos movidos a bateria às frotas, o que há de mais recente em uma mudança global mais ampla entre empresas que adotam tecnologias mais verdes para reduzir a emissão de gases do efeito estufa.

Duas das maiores locadoras de veículos - Hertz Global Holdings e Avis Budget Group - revelaram recentemente planos para expandir suas ofertas de elétricos à medida que a indústria automotiva lança mais opções para motoristas que procuram evitar a gasolina.

A Enterprise Holdings, empresa privada que possui marcas como National e Alamo, também disse que está procurando adicionar mais carros elétricos, especialmente para clientes que estão alugando ou arrendando frotas de veículos pequenos.

A transição deve trazer desafios. Veículos elétricos são normalmente mais caros, criando custos iniciais mais elevados para as locadoras e, potencialmente, aumentando os preços para os locatários. Além disso, a escassez de redes públicas de carregamento pode ser difícil para quem viaja a lazer, que pode não saber como e onde carregar seus carros, dizem analistas e executivos. Essa frustração pode prejudicar a experiência dos clientes, dizem eles.

A notícia da Hertz, no final de outubro, de que havia feito um pedido de 100 mil veículos da Tesla fez as ações das duas empresas dispararem, elevando o valor de mercado da companhia de Elon Musk para mais de US$ 1 trilhão pela primeira vez. Enquanto as duas empresas ainda estão trabalhando nos detalhes, a Hertz disse na época que o pedido aumentaria seu mix de carros elétricos para 20% de sua frota total.

As ações da Avis também subiram no início deste mês, quando executivos disseram que estavam trabalhando para expandir as opções de elétricos para locatários, tornando-se uma peça central dos esforços da empresa para reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 30% na próxima década.