Publicidade
Política em Debate

Expulsão

(Foto: CMC/arquivo)

A Executiva Municipal de Curitiba do PSD reúne-se na próxima segunda-feira para analisar pedido de expulsão da vereadora Fabiane Rosa, presa esta semana em operação do Ministério Público, suspeita de participar de um esquema de “rachadinha”, com retenção de parte dos salários de ex-funcionários. A representação contra a vereadora foi protocolada pelo filiado Éder Borges no dia 9 de julho, antes de estourar a denúncia de que a parlamentar se apropriava do salário de servidores públicos, e refere-se a infidelidade partidária e prática de nepotismo.

Braço avançado
Segundo Borges, a vereadora teria barganhado com o prefeito Rafael Greca (DEM) um
cargo na administração municipal para seu marido em troca de votos favoráveis a gestão atual na Câmara Municipal. Além disto, segundo o partido, o filiado apresentou provas de que, mesmo o partido tendo candidatura própria, Fabiane Rosa coagia servidores da Câmara Municipal para se integrarem na pré-campanha do prefeito. Segundo a denúncia, Fabiane filiou-se no último prazo de mudanças partidárias ao PSD, acompanhando o vice-prefeito Eduardo Pimentel que também aderiu a sigla e era considerada uma espécie de “braço avançado” de Greca no partido.

Calamidade
Os deputados estaduais aprovaram na quarta-feira projeto que reconhece o estado de calamidade no município de Esperança Nova em decorrência da pandemia de COVID 19. O reconhecimento serve para dispensa do cumprimento de metas fiscais previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), devendo os procedimentos licitatórios serem respeitados normalmente.

Pandemia
A proposta foi aprovada em dois turnos e está apta para a promulgação pelo presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB). Com isso, o Paraná tem 323 dos 399 municípios do Estado em calamidade pública em razão dos efeitos da pandemia.

Vermífugo
O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) recomendou que a Prefeitura de Paranaguá interrompa imediatamente a distribuição gratuita de ivermectina à população desse município do Litoral paranaense. O medicamento, cuja função é tratar verminoses, está sendo oferecido sob o pretexto de prevenir infecções pelo novo coronavírus e combater a evolução precoce de casos assintomáticos de Covid-19.

OMS
Segundo o TCE, não há qualquer comprovação científica de que o remédio seja capaz de desempenhar tais papéis. O documento tomou como base dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Sociedade Brasileira de Infectologia e da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa-PR). Para os analistas da Corte, a Dispensa de Licitação nº 26/2020 - que resultou na aquisição, por R$ 2.992.000,00, de 352 mil caixas com quatro comprimidos do medicamento - careceu de motivação legítima, sendo, portanto, irregular e causadora de dano ao patrimônio público.

Renault
A Assembleia Legislativa promove hoje uma audiência pública de forma remota para discutir os motivos e consequências das 747 demissões na fábrica da Renault, em São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba) ocorridas no dia 22 de julho. Odebate será realizado a pedido do deputado Arilson Chiorato (PT) e contará com a participação de diversos deputados, bem como representantes do sindicato dos trabalhadores e entidades representativas. As demissões na empresa têm sido motivo de preocupação por parte dos deputados estaduais.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES