Publicidade
Em São Paulo

Família curitibana acusa Starbucks de racismo após filha ser confundida com pedinte

Família curitibana acusa Starbucks de racismo após filha ser confundida com pedinte

Um caso de racismo envolvendo uma família curitibana revoltou a internet neste fim de semana. Um casal foi passar o fim de semana em São Paulo com o filho de três anos, a avó, e a filha de 11 anos, que é negra e adotada. A família foi a uma loja do Starbucks localizada na Alameda Santos, no bairro Jardins. Enquanto os pais buscavam café, a menina foi até o banheiro lavar a chupeta do irmão. Mas ao sair do banheiro, a garota teria sido confundida com uma pedinte por um segurança, que pediu que ela se retirasse do estabelecimento.

O caso foi relatado por meio de um post na página do pai da garota, que escreveu que o pedido de retirada da garota da loja veio da gerência, e que, revoltado com a situalção, registrou uma ocorrência de racismo na Polícia Militar.

 

 

Em nota enviada à redação Bem Paraná, a assessoria de imprensa do Starbucks, lamentou o incidente e diz que está apurando o ocorrido: "Em relação ao incidente relatado pelos clientes Jorge Ribas Timi e Tatiane Timi, tivemos a oportunidade de, pessoalmente e por telefone, lamentar pela experiência que a família teve em uma de nossas lojas. Esforçamo-nos muito para trazer momentos agradáveis a nossos clientes. Se existe, por parte da família, o sentimento de que a experiência não foi agradável, sem dúvida alguma, nós não atingimos o que era esperado e, por isso, estamos realizando uma apuração completa do ocorrido. A acusação realizada é muito séria e não condiz de forma alguma com os valores e princípios que guiam a nossa caminhada. Não descansaremos até esclarecer os fatos e, se constatado algum desvio, identificaremos os responsáveis e tomaremos as providências cabíveis".

 

DESTAQUES DOS EDITORES