Publicidade
Crise do coronavírus

FCC recebe representantes da classe artística para debater medidas

(Foto: Divulgação/SMCS)

A presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, reuniu-se na tarde da sexta-feira (29/5) com representantes da classe artística, atendendo ao pedido formulado por um grupo de entidades, coletivos, produtores e empresários culturais, com a finalidade de criar uma agenda e ajudar na construção de medidas de enfretamento da situação de crise do setor nesse período de pandemia de covid-19. O encontro aconteceu na sede da Prefeitura com todos os cuidados de distanciamento e prevenção contra a doença.

Os representantes da cultura relataram as dificuldades que estão enfrentando, lembrando que a cadeia produtiva da cultura é muito mais ampla e não se limita aos artistas. Há uma série de outros profissionais, técnicos e trabalhadores ligados ao setor cultural que igualmente estão passando por dificuldades.

Ana Cristina propôs na reunião que o Conselho Municipal de Cultura, colegiado com representação dos artistas, seja o interlocutor nesse diálogo, de forma que toda a classe possa participar, formulando propostas e soluções.

“Vamos estudar mecanismos legais e possibilidades jurídicas para rever os projetos do Fundo Municipal da Cultura e do Mecenato Subsidiado e adaptá-los ao formato virtual enquanto perdurar a pandemia, permitindo movimentar e fomentar a economia da cultura”, explicou Ana Cristina.

Segundo a presidente da FCC, um segundo edital para aquisição de conteúdos audiovisuais será lançado e a ideia é que os artistas também participem da elaboração desse novo edital.

A atriz e diretora teatral Eliane Berger, presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão do Estado do Paraná (Sated-PR), apoiou a proposta e sugeriu que o novo edital atenda prioritariamente os técnicos do setor.

“Estamos todos numa situação complicada, mas eles estão numa condição muito pior. Estão sem saída”, disse Eliane.

A presidente do Sated considera que os profissionais de iluminação, sonorização, cenotécnicos, entre outros, podem participar do edital produzindo lives e mostrando como funciona esse mundo atrás dos palcos, que o público não vê, mas é muito importante.

Uma das principais medidas foi o lançamento de um edital emergencial para seleção de conteúdos audiovisuais e divulgação nas redes sociais da FCC. Artistas de todos os segmentos e linguagens puderam se inscrever, enviando vídeos de seus trabalhos. Foi um edital abrangente, que atendeu, além dos artistas, os técnicos da área da cultura, como produtores, iluminadores, técnicos de som, cenotécnicos, cenógrafos, maquiadores, figurinistas e roadies.

A Prefeitura destinou R$ 450 mil para esse edital que beneficia 300 projetos culturais. Cada artista, neste caso, receberá o valor de R$ 1.500,00. O edital está em fase análise de recursos e em breve terá o seu resultado final publicado no Diário Oficial.  

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES