Publicidade
Youtuber 

Felipe Neto distribui livros LGBT na Bienal e dá recado para a censura

(Foto: Divulgação)

O youtuber Felipe Neto falou ontem sobre o resultado da ação em que distribuiu gratuitamente cerca de 14 mil livros com temática LGBT durante a Bienal do Livro no Rio de Janeiro no último sábado (7). “O dia em que mandamos um recado claro para a censura e os opressores: vocês nunca irão calar o amor! O bem sempre vence e sempre vencerá. Foram 14 mil livros de temática LGBTQ+ distribuídos gratuitamente”, escreveu Felipe em seu perfil no Instagram. “Foi lindo, foi amor, foi luta por um mundo melhor! No final, chegaram os carros dos agentes da censura de Crivella e 20 homens armados prontos para recolher todos os livros. Só tinha um problema: todos já tinham sido entregues de graça”. Os 14 mil livros, comprados na própria Bienal, foram envolvidos em plástico preto acompanhados de um adesivo: “Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas”.


Em site italiano
‘Quero que minha bissexualidade seja natural e normal’, diz Anitta
A cantora Anitta falou ontem sobre ter assumido abertamente ser bissexual. “Eu sempre gostei de garotas. Eu só esperei pelo melhor momento para contar isso ao público para que as pessoas não criassem notícias sensacionalistas e tratassem isso como uma grande coisa. Do tipo ‘essa é quem ela é’. Eu não quero isso para minha vida. Quero que minha bissexualidade seja natural e normal”, afirmou ela, ao site italiano Fredda. “Ninguém vai cantar na televisão e fala ‘oi, sou hetero’. Ninguém precisa fazer isso. É assim que quero que lidem com minha bissexualidade”.


Queda de braço
Ministros do STF proíbem censura na Bienal do Rio
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, voltou a barrar, ontem, a apreensão de livros de temática LGBT+, promovida pela gestão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), na Bienal do Livro. A decisão de Toffoli suspende despacho do presidente do Tribunal de Justiça, Cláudio de Mello Tavares, que havia autorizado a ação de fiscais da prefeitura no evento. Mais tarde, outro ministro do STF, Gilmar Mendes, também determinou que a gestão de Crivella se abstenha de apreender livros de temática LGBT na Bienal. Em seu despacho, afirmou que a Prefeitura fez ‘verdadeira censura prévia’ e promove ‘patrulha do conteúdo de publicação artística’. E proibiu, não apenas, que a Prefeitura se ‘abstenha-se de apreender qualquer livro exposto na Feira Bienal do Livro, e em especial a publicação “Vingadores: A Cruzada das Crianças”’, como também de ‘abstenha-se de cassar o alvará de funcionamento da Bienal do Livro’. “A orientação sexual e a identidade de gênero devem ser consideradas como manifestações do exercício de uma liberdade fundamental, de livre desenvolvimento da personalidade do indivíduo, a qual deve ser protegida, afastado o preconceito ou de qualquer outra forma de discriminação”, disse o ministro.


Derrotado
Crivella tentará reverter decisão do STF que liberou livros LGBT na Bienal
A Prefeitura do Rio de Janeiro vai tentar reverter decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que liberou a comercialização de livros de temática LGBT+ na Bienal do Rio. Em nota, por meio de sua assessoria de imprensa, a gestão municipal informou que “vai interpor, no STF, embargos de declaração à decisão do ministro Dias Toffoli”. Partiu de Toffoli, presidente do STF, a suspensão da liminar do Tribunal de Justiça do Rio que impedia a circulação dos livros. O ministro acolheu pedido da procuradora-geral, Raquel Dodge, e também da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro que recorreram ao Supremo nas últimas horas reivindicando que se posicionasse contra o prefeito Crivella.


Níver do dia

Ana Carolina, cantora e compositora brasileira, 45 anos

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES