Publicidade

Flamengo vence CSA sob olhares de Bolsonaro e Moro

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Flamengo venceu o CSA por 2 a 0 nesta quarta-feira (12), no estádio Mané Garrincha lotado, em Brasília, sob olhares de Jair Bolsonaro, presidente da República, e Sérgio Moro, ministro da Justiça e da Segurança Pública.

O time rubro-negro abriu o placar com gol de Vitinho, de cabeça, aos 20min do segundo tempo. Pouco depois, Gabriel ampliou a vantagem ao aproveitar rebote em chute de Willian Arão.

Com o resultado, o Flamengo foi aos 17 pontos e assumiu a terceira colocação do Brasileiro. Já o CSA se manteve na penúltima posição, com apenas seis pontos conquistados.

PRESIDENTE E MINISTROS

Bolsonaro e Moro surgiram na tribuna de honra para os torcedores minutos antes do início da partida. O presidente e assessores, em trajes informais. O ministro, o único de terno e gravata.

Momentos depois, Bolsonaro vestiu uma camisa do Flamengo que recebeu de uma pessoa da arquibancada logo abaixo da tribuna. Nesse momento foi bastante aplaudido, apesar de um ou outro xingamento vindo das arquibancadas. Logo em seguida, pediu que outro torcedor desse uma camisa para que Moro vestisse.

O ministro da Justiça, mostrando certo desconforto, despiu-se do paletó e vestiu a camisa do time de futebol por cima da camisa social. Houve aplausos e um breve coro de apoio. Menos de um minuto depois, ele tirou a camisa e devolveu ao torcedor.

O ministro da Justiça fez por várias vezes gesto de "V" de "vitória", além de erguer o punho, sempre demonstrando estar pouco à vontade no papel de torcedor.

Ele e Bolsonaro receberam apoio de torcedores que estavam na região perto da tribuna, apesar de um ou outro xingamento esporádico e um grito de “Lula livre “.

Momentos antes do jogo chegaram o ministro Paulo Guedes (Economia) e o vice-presidente, Hamilton Mourão.

Bolsonaro interagiu com alguns torcedores e disse apostar em uma goleada do Flamengo por 4 a 0. O presidente torce para o Palmeiras. Moro apostou em 3 a 0, em gestos com a mão, mesmo placar apontado por Guedes.

No intervalo do jogo, Bolsonaro e Moro conversaram alguns minutos a sós, em uma parte mais reservada da tribuna do estádio. O presidente e seus ministros deixaram o estádio assim que o juiz apitou o final da partida.

CSA

Jordi; Celsinho, Gerson, Leandro Souza e Carlinhos; Nilton (Patrick Fabiano), Didira, Apodi (Maranhão) e Jonatan Gómez; Victor Paraíba (Gérson Júnior) e Cassiano. T.: Marcelo Cabo

FLAMENGO

César; Rodinei (João Lucas), Thuler, Rodrigo Caio e Renê; Piris, Willian Arão, Everton Ribeiro; Vitinho, Bruno Henrique (Lincoln) e Gabigol (Berrío). T. (interino): Marcelo Salles

Estádio: Mané Garrincha, em Brasília

Juiz: Douglas Marques das Flores (SP)

Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

Cartões amarelos: Leandro Souza, Didira, Jonathan Gómez (CSA); Gabigol (FLA)

Gols: Vitinho (FLA), aos 20min, e Gabriel (FLA), aos 31min do 2º tempo

DESTAQUES DOS EDITORES