Publicidade
Carnaval 2020

Presidente da Comissão de Carnaval diz que folia em Curitibal "foi um sucesso total, sensacional"

Teve início há pouco, por volta de 16 horas, a apuração das notas das Escolas de Samba do Carnaval de Curitiba. O desfile, que aconteceu no sábado (com o Grupo Especial) e no domingo (com o Grupo de Acesso), levou 30 mil pessoas para a rua Marechal Deodoro, transformada em avenida do samba para o evento carnavalesco. Já a apuração do resultado aconece no Memorial de Curitiba, com grande animação dos presentes, todos contentes também com o que as escolas apresentaram na avenida.

Presidente da Comissão de Carnaval 2020, Jaciel Teixeira comenta que o Carnaval curitibano foi um sucesso total. "No sábado público extraordinário, as escolas levaram para a avenida um Carnaval gigantesco, com muita qualidade, muita riqueza de detalhes, que complicaram nossa comissão julgadora, porque (todas as escolas) vieram muito bem. O que esperamos é que o resultado mostre o que foi o Carnaval mesmo. A Prefeitura está de parabéns, a comissão de Carnaval está de parabéns. Foi um Carnaval seguro, a população pôde estar na avenida confortavelmente e assistir. Foi um sucesso total. É chover no molhado: Carnaval de Curitiba foi sensacional", afirmou.

Entre os carnavalescos, a sensação também era de dever cumprido. Seu Zé, da Enamorados do Samba, comenta ter achado o desfile muito bonito. A escola exaltou a história e a formação étnica de Curitiba, com referências aos 60 anos do Mercado Municipal, aos povos originários até as influências dos europeus. A ala das passistas da Enamorados se destacou pela quantidade de crianças participando. Ainda houve uma homenagem a Marlene Carmelo, carnavalesca da escola, que morreu no último dia 10.

"Achei o desfile muito bonito, ela passou uma energia pra gente muito bonita, eu carreguei a foto dela e a foto dela tava no carro e todo mundo, a escola, porque nossa escola não é uma escola, é uma famíia. Então temos uma escola bonita, ecológica. Na minha opinião, se não formos campeão, em segundo tiramos", diz.

Felipe Guerra, também da Enamorados, tratou de destacar que a escola está em paz com o desfile feito, independente de qualquer resultado. "A escola toda cantou, a arquibancada vibrou, as cores estavam belíssimas, criativa, compacta. A escola está muito feliz com o trabalho que fez". Ainda segundo ele, o resultado, agora é secundário. O principal foi o espetáculo. "A gente está tranquilo porque fizemos isso, cumprimos a nossa missão. Agora, se o título vier, vai ser muito festejado, até porque somos a escola caçula de Curitiba, temos só dois anos de idade, então ganhar o Carnaval assim precocemente seria maravilhoso."

Outro que faz um balanço positivo é Paulo Roberto, presidente da Acadêmicos da Realeza. "Tivemos alguns percalços durante o ano e o grupo que ficou, que permaneceu, resolveu da melhor maneira possível todas as situações. Tenho certeza que Lala Schneider deve estar muito satisfeita com o desfile que fizemos, luxuoso, animado. Foi um sacrifício grande, mas foi à altura da homenagem à Lala Schneider."

O PRIMEIRO DIA NA AVENIDA - GRUPO ESPECIAL

As cinco escolas do Grupo Especial embalaram o público com sambas-enredo que cantaram desde a loucura, a intolerância religiosa e a gastronomia até as belezas da lua e homenagem à atriz Lala Schneider, a grande dama do Teatro brasileiro.

A Embaixadores da Alegria, escola de samba mais antiga na cidade, foi a primeira a entrar na passarela. A escola se valeu dos primeiros versos da canção Maluco Beleza, de Raul Seixas. O enredo foi inspirado na loucura e na genialidade. A agremiação teve um contratempo com o carro abre-alas no começo do desfile, que não chegou a prejudicar sua apresentação.

Veja AQUI fotos do desfile da Embaixadores da Alegria

A Imperatriz da Liberdade deu continuidade aos desfiles, e trouxe para a Marechal uma questão que se destaca por ser comum a outros lugares do Brasil: a intolerância religiosa contra as religiões de matriz africana.

Veja AQUI fotos do desfile da Imperatriz da Liberdade

A Enamorados do Samba exaltou a história e a formação étnica de Curitiba, com referências aos 60 anos do Mercado Municipal, aos povos originários até as influências dos europeus. A ala das passistas da Enamorados se destacou pela quantidade de crianças participando. Ainda houve uma homenagem a Marlene Carmelo, carnavalesca da escola, que morreu no dia 10.

Veja AQUI fotos do desfile da Enamorados do Samba

A Acadêmicos da Realeza homenageou a atriz Lala Schneider. Falecida há quase 13 anos, ela é considerada a dama do teatro paranaense. “Foi um momento inesquecível. É uma responsabilidade muito grande representar essa pessoa glorificada, que merece todo esse carinho e lembrança”, comentou a atriz Regina Vogue, que esteve no carro alegórico dos artistas, representando Lala.

Veja AQUI fotos do desfile da Acadêmicos da Realeza

A Mocidade Azul fechou o desfile, encerrado pouco antes das 2 horas deste domingo, debaixo de chuva fina. A lua, que inspirou seu enredo, brilhou nas fantasias e no samba da escola.

Veja AQUI fotos do desfile da Mocidade Azul

O Carnaval 2020 terá mais desfiles neste domingo (23), quando entram na Avenida as Escolas do Grupo de Acesso: Unidos de Pinhais, Internautas e Leões da Mocidade.

O SEGUNDO DIA NA AVENIDA - GRUPO DE ACESSO

No segundo dia de carnaval, as escolas de samba do grupo de acesso trouxeram para a avenida temas similares, as festas tradicionais foram o mote utilizado como inspiração noite deste domingo (23/2). Além das três escolas, diversos blocos carnavalescos e um desfile de carros antigos ganharam destaque levantando o público e animando ainda mais a noite de domingo, que se estendeu até às 2h da manhã desta segunda-feira (24/2).

Os Unidos de Pinhais começaram o desfile do Grupo de Acesso, às 22h. A agremiação apresentou ao público o tema “No arraial do Carnaval, Os Unidos de Pinhais acende a fogueira do seu coração”. O enredo trouxe como cada região, de norte a sul do país, costuma comemorar as festas realizadas no mês de junho.

Acompanhado da mãe, o chileno Cristovan Alile está morando na cidade há 3 anos e já se animou para sair na avenida. “É diferente assistir e participar. Quando estamos dentro, a sensação é de fazer parte de algo maior, temos a responsabilidade e a percepção do que a escola pratica e do esforço que o grupo tem para crescer e ser melhor”, disse.

A celebração do “Día de los Muertos” foi tema da escola Internautas. “Arriba México, foi sem querer querendo que eu caí no samba” levou à avenida um desfile sobre a tradicional comemoração no país da América Central.

A Leões da Mocidade foi última escola a se apresentar. Com o enredo “Fé, Solidariedade e Identidade: o sagrado e o profano nas festas populares do Para-nã, a agremiação celebrou as tradicionais festas paranaenses em três vertentes: religiosas, étnicas e gastronômicas.

Veja AQUI as fotos do segundo dia de desfile das escolas de samba

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES