Publicidade
Ex-Coritiba

Futsal deveria ser obrigatório na formação dos jogadores de campo, diz Lipatin

Ricardinho e Lipatin: dois craques do campo revelados no futsal paranaense
Ricardinho e Lipatin: dois craques do campo revelados no futsal paranaense (Foto: Divulgação/Lipatin Sports)

Marcelo Lipatin treinou futsal até os 18 anos. Depois, entrou para o futebol de campo profissional. Jogou no Coritiba em 2000 e, em 2005, atuou pelo Grêmio na épica “Batalha dos Aflitos”. Hoje, aos 43 anos, é empresário, agente Fifa e proprietário da Lipatin Sports, com sede em Curitiba.

Com larga experiência nos dois esportes, Lipatin acredita que uma modalidade pode ajudar a outra. “Se eu tivesse o poder, eu colocaria o futsal como obrigação no futebol de campo. Quem joga futsal pensa mais rápido, age mais rápido, decide mais rápido”, disse o ex-jogador, em entrevista para o canal De Olho no Jogo. Para ele, o futsal deveria estar presente na formação dos atletas de campo pelo menos até os 17 anos.

Lipatin jogou futsal ao lado de ídolos do futebol de campo paranaense. “A minha geração tinha Tcheco, Ricardinho, Alex, Rodrigo Batata e Lúcio Flávio. Todos saíram do futsal, salonistas natos. Aí vamos chegar em outro nível: Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho e Neymar. O futsal é a maior fonte de formação de atletas que pode haver, em comunhão com o futebol de campo”, destacou.

A entrevista, conduzida pelos jornalistas Guilherme de Paula, Daniel Piva e André Frehse Ribas, tinha como principal tema o futuro do mercado do futebol pós-Covid19. Clique aqui para assistir ao vídeo no Youtube.

Em entrevista para o Bem Paraná, o técnico Matheus Costa, hoje no Confiança e ex-jogador de futsal, também falou sobre a importância da troca de conhecimentos entre as duas modalidades. Clique aqui para ler.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES