Publicidade
Exterior

Futuro chanceler diz que usará 'amor e coragem' para comandar Itamaraty

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em carta divulgada logo após ter sido escolhido ministro, o embaixador Ernesto Henrique Araújo afirmou que usará trecho do jingle de campanha de Jair Bolsonaro para comandar o Ministério das Relações Exteriores.

"Bolsonaro com amor e com coragem! Esse é o lema do candidato em que sempre acreditei, junto com tantos milhões de brasileiros, e este é o projeto que saiu triunfante da sagrada celebração democrática que são as eleições", escreveu o futuro ministro em carta divulgada nesta quarta-feira (14).

Anunciado chanceler do governo do presidente eleito, Araújo afirma sentir-se 'honrado' e 'entusiasmado' em comandar o Itamaraty.

Araújo, 51, é diretor do Departamento dos Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos e compõe o quadro da diplomacia brasileira há 29 anos. Ele foi anunciado como futuro ministro das Relações Exteriores nesta quarta, por Bolsonaro, em Brasília.

"Pretendo trazer este lema para a instituição a que sirvo com orgulho há quase 30 anos e que é a minha casa, a casa de todos nós, diplomatas brasileiros, e proclamar: Itamaraty com amor e com coragem!"

Ele explica ainda que a coragem servirá para promover mudança desejada pelo povo nas urnas. "Coragem para romper inércias e distanciamentos e ser parte do povo brasileiro na criação de um país feliz, próspero, justo, forte e seguro".

Araújo promete aprofundar iniciativas 'lançadas com competência' do governo Michel Temer, mas não menciona quais. 

Ele diz ainda que lançará outras medidas no campo econômico, cultural, tecnológico e em relações políticas. "Na promoção da democracia e das liberdades fundamentais em todo o mundo."

O futuro ministro promete trazer aportes para o Brasil com 'espírito inovador, sem medo de criar, sem medo de ser Brasil'.

Assim como Bolsonaro tem dito em seus discursos, ele diz estar consciente da tarefa que o aguarda à frente da diplomacia: "A mão firme e confiante do presidente Bolsonaro nos guiará".

Reportagem da Folha de S.Paulo mostrou em outubro que o diplomata mantinha um blog em que chamava o PT de "Partido Terrorista" e fazia campanha para o então candidato à presidência Bolsonaro. 

Na publicação online, ele também atacava o globalismo. "Quero ajudar o Brasil e o mundo a se libertarem da ideologia globalista. Globalismo é a globalização econômica que passou a ser pilotada pelo marxismo cultural. É um sistema anti-humano e anticristão", escreveu Araújo.

DESTAQUES DOS EDITORES