Publicidade
Gastos públicos

Gabinete de Requião gasta R$ 69 milhões em 2007

Somente nos primeiros 12 meses deste segundo mandato, a Governadoria – órgão do Executivo Estadual responsável pelas despesas diretas do governador Roberto Requião (PMDB) e da Casa Civil – consumiu mais de R$ 69 milhões, apenas com a contratação de serviços e compra de produtos. O valor não contabilizando salários e encargos com servidores. O montante também impressiona quando comparado com o orçamento de outras áreas da administração estadual que supostamente deveriam ser priorizadas por serem atividades-fim do Estado, como o da Secretaria Estadual de Obras Públicas (SEOP) de 2007, que não chega a R$ 35 milhões.
Todas as informações estão disponíveis na página oficial do governo do Estado – gestaododinheiro-publico.pr.gov.br. O dinheiro consumido pela Governadoria supera ainda os orçamentos da Secretaria de Planejamento; Comunicação Social; e da Secretaria de Indústria e Comércio.
Algumas das despesas efetuadas pelo gabinete de Requião ao longo do último ano chamam a atenção pela peculiaridade, principalmente em se tratando de um governo que se autointula de “esquerda”, e prega a austeridade como linha de atuação político-administrativa. A lista dos gastos da governadoria em 2007 inclui itens curiosos como a aquisição de arranjos de flores, pedras e azulejos decorativos, frutos do mar, chocolates finos, uma capa térmica protetora para a piscina da Granja do Cangüiri, residência oficial do governador,. Outro gasto que chama a atenção é a aquisição de uma carteira em couro, no valor de R$ 2.180,00.
Carta de Puebla — A relação dos valores empenhados em 2007 através da Governadoria contradizem o discurso requianista embasado na “Carta de Puebla” e na opção preferencial pelos pobres. O órgão é responsável ainda pelas despesas do gabinete do governador, incluindo viagens, diárias e gastos com a residência oficial.
Quando é para impressionar visitantes estrangeiros, Requião não economiza. Em maio, durante a visita oficial do presidente do Senado da Polônia, comitiva e convidados, um almoço regado a carne de carneiro – uma das prediletas do governador – saiu por R$ 4,8 mil. O valor seria suficiente para garantir a alimentação de nove famílias – com quatro pessoas - por um mês, se considerado o valor da cesta básica de dezembro em Curitiba (R$ 561,69), segundo informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Com a hospedagem de uma missão da França no hotel Bourbon foram gastos outros R$ 4.328,50, em março último. Um almoço para a mesma missão consumiu outros R$ 2.271,00. Somente em pescados, a Governadoria despendeu mais de R$ 27 mil no ano passado. E apenas em dezembro do ano passado, o gabinete requianista gastou mais de R$ 50 mil com a aquisição de alimentos, sendo que R$ 3,6 mil despendidos com pães, R$ 2,5m il com pó de café e outros R$ 5,7 mil com carnes. Ao todo, foram R$ 11,4 milhões gastos apenas no último mês de 2007 pela governadoria, segundo os dados oficiais.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES