Operação

Gaeco cumpre 19 mandados de prisão na Grande Curitiba por lavagem de dinheiro

(Foto: Divulgação)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, com apoio da Corregedoria da Polícia Militar cumpriu na manhã desta quinta-feira, 9 de maio, 19 mandados de prisão (onze de prisões preventivas e oito de prisões temporárias) e 24 mandados de busca e apreensão. Dentre os presos, estão dois soldados da PM, um deles reformado. As buscas são cumpridas em Curitiba, Fazenda Rio Grande, Campo Largo, Piraquara, Campina Grande do Sul, Guaratuba, São José dos Pinhais e Matinhos.

Segundo as investigações os PMs presos estariam planejando os crimes durante o período que ficaram presos juntos no Batalhão da Polícia de Guarda, em Curitiba. Ao todo, 20 pessoas foram presas na operação e aproximadamente R$ 44 mil reais foram apreendidos. Os policiais são apontados pelo Gaeco como líderes de duas organizações criminosas que 'compartilhavam' os integrantes que também foram presos durante a operação desta quinta-feira. Eles atuavam, principalmente, com furto, roubo e lavagem de dinheiro.

Os mandados foram expedidos pela 9ª Vara Criminal de Curitiba em decorrência de investigação que detectou a existências de duas organizações criminosas, cujos líderes são os dois policiais militares, constituídas para a prática de crimes de roubo, furto, usura e lavagem de dinheiro.

Um dos policiais já está condenado a 24,5 anos por tráfico, associação para o tráfico e corrupção passiva e está sendo investigado por lavagem de ativos. O outro policial está sendo investigado por roubo, furto e lavagem de ativos. Ambos estiveram presos durante um período no Batalhão da Polícia de Guarda, em Curitiba, ocasião em que trocaram informações e entrelaçaram as atividades dos dois grupos para lavagem de dinheiro.