Governo revê veto a cruzeiros e isolamento

O Ministério da Saúde suspendeu neste sábado, 14, duas das restrições que haviam sido divulgadas na sexta-feira, 13, como formas de prevenção à propagação da covid-19. As medidas foram alvo de questionamentos e serão reavaliadas.

A primeira restrição previa o isolamento domiciliar das pessoas que chegarem ao Brasil, mesmo que não apresentassem sintomas da doença, por sete dias. Após ser questionado por Estados e municípios, o ministério manteve a recomendação de isolamento para as pessoas com sintomas, como febre e tosse, mas suspendeu neste momento para os demais viajantes.

A segunda mudança diz respeito a cruzeiros que atracam nos portos brasileiros. Na sexta, o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, disse que era uma determinação do governo o impedimento a esse tipo de embarcação. Ontem, porém, o Ministério da Saúde divulgou que as eventuais restrições aos cruzeiros ainda serão analisadas de forma individual.

No País, estão em vigor as seguintes recomendações: cancelar, adiar ou realizar sem público grandes eventos; em caso de morte pelo novo coronavírus, evitar velório com concentração de pessoas; idosos e doentes crônicos não devem viajar, ir a cinema, shoppings, shows e locais com aglomeração.

Em áreas com transmissão local, as escolas devem parar e o trabalho deve ser reduzido.

Novo balanço

O número de casos de infecção pelo coronavírus confirmados no Brasil subiu para 121, segundo balanço divulgado ontem. O último boletim apontava 98 registros.

Treze Estados já têm casos - com destaque para São Paulo (65) e Rio (22), que já têm transmissão comunitária da doença, ou seja, a circulação do vírus se expandiu e é impossível rastrear a origem de cada infecção. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.