Publicidade
Honraria máxima

Greca entrega as primeiras homenagens da Ordem da Luz dos Pinhais de Curitiba. Veja quem recebeu

Greca entrega as primeiras homenagens da Ordem da Luz dos Pinhais de Curitiba. Veja quem recebeu
(Foto: Daniel Castellano / SMCS)

O prefeito Rafael Greca entregou, na noite da sexta-feira (21/9), no Memorial de Curitiba, as primeiras medalhas e diplomas da Ordem Municipal da Luz dos Pinhais de Curitiba. Vinte e oito curitibanos, de nascimento ou adoção, receberam a honraria máxima da capital paranaense pela contribuição ao engrandecimento da cidade e do bem-estar de seus habitantes. 

“Vocês são pura luz, a luz dos Pinhais. Ao distingui-los nós os apontamos aos que aqui vivem e também aos que vão nascer, como exemplos de utilidade e beleza, de urbanidade e cidadania, de paz e de bem, como exemplo a ser seguido e ser lembrado”, disse Greca.  “Guarde o Senhor da Luz as suas vidas e os recompense e os faça sentir o quanto Curitiba lhes é grata, muito obrigado”, complementou o prefeito.

A primeira homenageada da noite foi a engenheira Dulcia Auriquio, referência no planejamento e gestão urbana. Ela trabalhou de 1962 a 1996 na Prefeitura de Curitiba e foi conselheira dos prefeitos Ivo Arzua, Jaime Lerner, Saul Raiz e Rafael Greca. Dulcia recebeu a Comenda das mãos do prefeito e da primeira-dama Margarita Sansone. 

A presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Ana Cristina de Castro, também entregou diplomas e medalhas aos homenageados. “É uma honra na noite de hoje poder homenagear personalidades que se destacaram pela relevante contribuição nas diversas áreas de atuação”, disse ela.  

O presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Gláucio Geara, falou em nome dos homenageados. Ao agradecer o prefeito, Geara falou sobre a dedicação de Greca à cidade de Curitiba. “Prefeito, éreconhecida a sua devoção e paixão pela história dessa terra. O senhor é, hoje, um dos principais militantes do resgate moral e do orgulho de sermos curitibanos. Ao criar essa Comenda, o senhor sintetiza a honra de viver e lutar por esta terra”, declarou.

O evento contou com a participação da Camerata Antiqua de Curitiba, regida por Mara Campos.  A abertura da solenidade foi com a Entrada das Bandeiras pela Guarda Municipal e o encerramento com a execução do Hino de Curitiba pelo Coro da Camerata.

Medalha

Instituída pelo Decreto Municipal 915, de 31 de agosto de 2018, a homenagem é constituída de uma medalha, de um diploma e da inscrição do nome dos homenageados em um livro de registros. O decreto define o Conselho da Ordem e os critérios para a escolha de nomes, entre os quais:  conduta ilibada dos homenageados e ações de relevância em favor da cidade.

Banhadas a ouro, as medalhas são inspiradas na obra "Homem à Altura dos Pinheiros”, de João Turin, com o desenho de um homem de braços abertos em um cenário de pinheirais. A imagem remete ao Homem Vitruviano, símbolo do Renascimento, de Leonardo Da Vinci. A medalha é sustentada por uma fita nas cores da bandeira de Curitiba verde bandeira, com filete central vermelho, ladeado por dois filetes brancos e dois filetes dourados.

Presenças

Participaram da solenidade o comandante da Artilharia Divisionária da 5ª Divisão de Exército, o general de Brigada Rodrigo Pereira Vergara;o vice-prefeito, Eduardo Pimentel, acompanhado pela esposa Paula Antunes Mocellin Slavieiro; o secretário do Governo Municipal e presidente do Ippuc, Luiz Fernando Jamur. 

Também estiveram presentes no evento os secretários municipais de Agricultura e Abastecimento, Luiz Gusi; da Saúde, Márcia Huçulak; de Recursos Humanos e Administração, Heraldo Alves das Neves; do Meio Ambiente, Marilza Dias; da Educação, Maria Silvia Bacila; a presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Elenice Malzoni; a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra; o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto; o presidente do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), Alexandre Jarschel de Oliveira; a presidente do Instituto Curitiba de Saúde (ICS), Dora Pizzatto; a presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento, Cris Alessi e o assessor de relações Internacionais, Rodolpho Zannin Feijó.

Conheça um pouco da atuação dos primeiros homenageados da Ordem da Luz dos Pinhais, honraria máxima concedida pelo município. A lista está em ordem alfabética

 

Aly Muritiba 
O baiano premiado que levou Curitiba ao circuito internacional de cinema

Alysson Silva Muritiba, ou Aly Muritiba, é roteirista, produtor e diretor cinematográfico. Baiano de nascimento, adotou Curitiba e inseriu a cidade em seus trabalhos, levando  a capital paranaense ao círculo cinematográfico internacional. Seus curtas e longas metragens, documentários e séries para TV, conquistaram mais de 150 prêmios em festivais.

Foi semifinalista ao Oscar 2013, com o curta metragem em live-action “A Fábrica”, e vencedor do Festival de Cinema Mundial de Montreal, com o longa “Para Minha Amada Morta”. Em 2018 seu filme “Ferrugem” foi o vencedor do Kikito de Ouro no Festival de Gramado, principal premiação do cinema brasileiro.

Fez ainda “Pátio” (vencedor do É Tudo Verdade, e selecionado para a Semana da Crítica do Festival de Cannes), “A Gente” (longa vencedor do DOK Leipzig 2013) e “Tarântula” (curta selecionado no Festival de Veneza em 2015).
“Para minha amada morta” ganhou também o Global Filmmaking Award do Sundance Institut em 2013 e em 2015 ganhou 7 prêmios no Festival de Brasília, incluindo o de melhor diretor, além de ter estado em festivais como San Sebastian, Amiens Int’l FF, e Havana.

“Ferrugem”, seu segundo longa metragem de ficção fez a premiére mundial no Festival de Sundance em 2018. O roteiro de “Barba Ensopada de Sangue”, assinado pelo realizador, participou do Torino Film Lab. As filmagens devem começar em junho de 2019.

Além de realizador, Aly Muritiba é diretor delegado e produtor do Olhar de Cinema, Festival Internacional de Curitiba.

 

Carlos Ceneviva 
Sinônimo do transporte público que Curitiba exportou para o mundo

Carlos Eduardo Ceneviva nasceu em Catanduva (SP), em 1937. Cursou o ginásio e o científico em Londrina. Em 1968, formou-se em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), passando a integrar a equipe de arquitetos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) em 1971.

Já em 1973 assumiu a supervisão de Planejamento do instituto com participação direta no detalhamento dos setores estruturais e na implantação dos ônibus expresso. Presidiu o Ippuc entre 1979 e 1980, época em que foi implantado na cidade o conceito de Rede Integrada de Transporte, com o fechamento dos terminais e tarifa única. 
Em 1989 presidiu a Urbs, tendo  encaminhado o processo de incremento da Rede Integrada, com a implantação, em 1991, das Linhas Diretas (Ligeirinhos) e estações-tubo fora das canaletas. Em 1992, implantou os biarticulados no eixo Boqueirão, e em 1995, no eixo Norte-Sul. Essas obras contaram com investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), dentro de um pacote que, além da inovação no transporte, dotou a cidade com as primeiras ruas da cidadania, os núcleos descentralizados de serviços públicos.

Até meados dos anos 2000, Ceneviva desenvolveu estudos e projetos de mobilidade no Brasil e exterior. De volta à Urbs, em 2005, foi um dos responsáveis pela elaboração do anteprojeto de ultrapassagem nas canaletas do expresso que culminou com a implantação do Ligeirão, primeiro no eixo Boqueirão, e mais recentemente no eixo Norte-Sul. Retornou ao Ippuc em 2017 e permaneceu até o início de 2018 no suporte a novos projetos de transporte.

 

Clarissa Grassi
Celebra a vida contando histórias dos túmulos do Cemitério Municipal

Antes de tornar a atividade um trabalho, Clarissa Grassi, 41 anos, fazia visitas guiadas voluntariamente no Cemitério Municipal São Francisco de Paula, no São Francisco, fundado em 1854. Sempre muito dedicada à pesquisa, a Relações Públicas formada pela Universidade Federal do Paraná realiza tours diurnos, noturnos e temáticos pelas alamedas do tradicional espaço do município, em que o visitante participa de verdadeiras aulas de arquitetura, história, arte, geologia e sociologia de Curitiba. 

É uma experiência cultural única, que tem como resultado a valorização da riquíssima história da nossa terra e da nossa gente. Os tours incluem, por exemplo, visita aos túmulos  de artistas, atletas, mulheres pioneiras, personalidades e gentes  variadas ali enterradas – iniciativas  que já reuniram 4 mil pessoas desde o ano passado. 

De tanto estudar os túmulos e percorrer o local, a pesquisadora fez descobertas inusitadas, como um príncipe enterrado no São Francisco: o escultor Friedrich Franz von Hohenlohe-Waldenburg-Schillingsfürst (1879-1958), membro da família real do antigo Império Austro-Húngaro. 

Natural de Campinas (SP) e mestre em sociologia, Clarissa transformou sua experiência e conhecimento no livro “Cidade dos Mortos, Necrópole da Vida: A Curitiba do Cemitério Municipal São Francisco de Paula”. 

 

Celso dos Santos 
Pioneiro da Guarda, sustentáculo da segurança municipal

A história de Carlos Celso dos Santos Junior se mescla com o surgimento, construção e consolidação da Guarda Municipal de Curitiba. Integrante da primeira turma a ser formada pela corporação em 1988, Celso, como é conhecido, hoje é superintendente da Secretaria Municipal da Defesa Social.

No início, a Guarda Municipal era uma novidade na cidade e levou um tempo para afirmar sua identidade e receber reconhecimento pelos serviços prestados como nova autoridade na área da segurança pública. Com muito trabalho, se tornou referência nacional entre as instituições de Guardas Municipais.

Celso foi um dos membros mais atuantes a participar dessa evolução, tendo se tornado o primeiro profissional de carreira a assumir a direção de uma Guarda Municipal de capital no País, no início dos anos 2000. Até então, coronéis ou delegados da polícia eram designados para ocupar o cargo.

Teve como seu primeiro posto de trabalho o terminal Guadalupe, passando também pela Praça Osório, Passeio Público e núcleos regionais.

A atuação de Celso ficou marcada por um episódio logo no seu primeiro ano de trabalho, quando numa reintegração de posse saiu ferido – ele e outros colegas – após confronto com invasores. Um colega morreu e outro ficou tetraplégico, ao cumprir seus deveres em prol da segurança pública de Curitiba.

 

Dulcia Auriquio                                                                                                                Engenheira desbravadora é referência na gestão urbana modelo da capital

Doutora Dulcia Auriquio é referência histórica na gestão urbana de Curitiba. Engenheira civil formada pela Universidade Federal do Paraná, foi a única mulher da turma de 1954. Em 1962 foi contratada pela Prefeitura de Curitiba para fazer parte da equipe encarregada do levantamento, pesquisa e planejamento do uso do solo da cidade. No mesmo ano foi designada chefe da Divisão de Planejamento do município.

Em 1964, participou da equipe que elaborou o plano preliminar de urbanização da capital. Em 1965 passou para os quadros de carreira do município como engenheira, integrando a equipe que criou o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

Num tempo em que não havia computadores, desenvolveu no Ippuc o mapa da cidade em conjunto com o cartógrafo suíço Julius Forrer. Também fez o registro da altimetria da cidade e a numeração predial por quilometragem e quadra, até então inexistente. Foi ainda responsável  pela escolha da sede própria do Ippuc, fortalecendo a instituição como órgão máximo de planejamento da cidade. No Instituto, foi Diretora de Implantação e presidente substituta. Também dirigiu o Departamento de Urbanismo nas gestões de Jaime Lerner e Saul Raiz tendo sido decisiva na implantação de importantes projetos que moldaram Curitiba como modelo mundialmente reconhecida de cidade planejada.
 

Elyse Mattos 
A advogada que uniu sociedade, Prefeitura e ONU para ajudar autistas

Elyse Mattos é mãe de Enrico, um menino de 8 anos portador de uma das síndromes do transtorno do espectro autista. Advogada com mestrado em Direito do Comércio Internacional e especialização em Direito Financeiro e Tributário pela universidade francesa Sorbonne, ela passou a se dedicar integralmente ao filho quando descobriu o transtorno. Um trabalho pessoal que desaguou numa pequena revolução social, de ajuda às famílias que convivem com o autismo.
Elyse fez curso de Empreendedorismo em Stanford (EUA) e fundou o Ico Project, uma ONG que fez parceria com a Prefeitura de Curitiba, possibilitando a vinda para o Brasil de um projeto pioneiro de apoio aos pais de autistas. O programa vai capacitar pais e familiares para serem protagonistas na melhoria da qualidade de vida das crianças. O projeto é uma parceria com a Autism Speaks e a Organização Mundial da Saúde, o braço da ONU (Organização das Nações Unidas) para a área.
Graças a Elyse, sociedade civil, poder público municipal e organismos internacionais estão juntos para ajudar quem precisa.
Do Direito na Sorbonne e de sua atuação na capital, a curitibana pulou para os Estados Unidos, onde atualmente cursa coach na Universidade de Miami.


 

Escola Municipal Jardim Santo Inácio
Melhor desempenho da rede municipal no Ideb
(Representada pela diretora Janete Tuchovski)

Diretora da Escola Municipal Jardim Santo Inácio, Janete Tuchovski é formada em Letras Português e Espanhol, com especialização em Educação Infantil e Séries Iniciais. Sua trajetória como professora começou há 29 anos e atua como gestora há mais de dez anos. Seus colegas de trabalho a descrevem como comprometida, ética, dedicada e com amor pelo que faz.

A Escola Municipal Jardim Santo Inácio é um exemplo para a rede municipal de ensino, tendo apresentado o maior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) na avaliação de 2017, passando de 7,2 (2015) para 7,8 pontos. O desempenho, segundo a equipe pedagógica da unidade, é fruto de ações pautadas nos conceitos de cooperação, participação, autonomia, cultura, diversidade e de inclusão – num ambiente, portanto, cercado de aprendizado e respeito, num trabalho pedagógico coletivo e de parceria com as famílias.

A escola começou a funcionar em março de 1980, em salas cedidas pela Escola Estadual Helena Dionísyo. Foi inaugurada oficialmente no dia 25 de agosto de 1980, tendo recebido o mesmo nome do bairro que homenageia o Santo Inácio Mártir.

Atualmente atende a 342 estudantes, em turmas da pré-escola, 1º ao 5ºano do ensino fundamental. São 6 salas de aula, laboratório de informática e pátio.  Na escola são desenvolvidos os projetos de Ioga, Corpo Coreográfico, Conhecer Para Prevenir e Direitos Humanos.

Segundo o projeto político pedagógico da unidade, a escola não deve ser mera transmissora de conteúdo e fatos históricos ou geográficos. Tem o dever, a obrigação e a missão de prestar um serviço que permita ao cidadão (em formação), uma reflexão ampla de seu ambiente, de fato geradores de transformação, da sua capacidade de construir caminhos, de apropriar-se de meios, de progredir e intervir na sociedade, fazendo sua própria história. Deve dar ao estudante a capacidade de comunicar-se, compreender e criar símbolos que lhe permitam uma vida de qualidade dentro da sociedade.

Como mostra o Ideb, a Escola Municipal Jardim Santo Inácio faz isso como poucas outras.

 

Escola Municipal Pilarzinho 
Maior evolução do Ideb na rede municipal
(Representada pela diretora Siméia Araújo Brasileiro)

Siméia Araújo Brasileiro estudou Pedagogia na Faculdade Internacional de Curitiba (Facinter). Dirige a Escola Municipal Pilarzinho desde 2013, quando a unidade foi criada e registrou nota 3,8 na primeira avaliação que participou do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Foi  a menor pontuação da Rede Municipal de Ensino de Curitiba. Agora, no Ideb de 2017, a escola comemora um salto na aprendizagem dos estudantes, tendo obtido 6,4 na avaliação do Ideb – a maior evolução de Ideb da rede municipal, fruto de um amplo trabalho de reforço pedagógico que contou com a participação das famílias dos estudantes.

A escola tem conseguido vencer os obstáculos que afastavam os estudantes das salas de aula, entre elas a baixa frequência e a reprovação. O foco do trabalho de todos os profissionais da unidade é a criança. Todos estão lá por elas, para elas, e com elas pelo direito à aprendizagem e ao atendimento humanizado.

A melhora da aprendizagem dos estudantes serviu como estímulo para novas ações e práticas diferenciadas, valorizando o apoio pedagógico, as atividades de leitura e escritas e atenção especial para aumentar a frequência dos estudantes.

A unidade funciona em dualidade administrativa com o Estado, dividindo o espaço com a Escola Estadual Emiliano Perneta.

Oferta turmas de 1º ao 5º do ensino fundamental e atualmente atende a 148 estudantes – 70 deles atendidos em período integral. Conta com 7 salas de aula quadra coberta e biblioteca escolar.  

São destaque da escola os projetos: Bullyng não é brincadeira, Projeto Conhecer para Prevenir, Horta Escolar, Rede de Proteção, Música, Xadrez e Circo. A Escola Municipal Pilarzinho é, ainda, uma das 73 unidades envolvidas no Projeto Equidade: Transformando Realidades, sendo que o critério de análise para inserção das escolas pautou-se no nível da aprendizagem dos estudantes, proficiência da escola na Prova Brasil de Língua Portuguesa e Matemática do 5º ano (2013) e no aspecto socioeconômico e cultural do entorno da escola.

 

Gláucio Geara 
Tradição do comércio curitibano e paranaense

Curitibano de tradicional família ligada ao comércio, empresário formado em Direito, com pós-graduação em Administração de Empresas, Gláucio Geara tem um longo histórico de vida empresarial e de atuação como uma das mais influentes lideranças do setor produtivo paranaense.

Atualmente, preside a Associação Comercial do Paraná (ACP) entidade que reúne mais de 30 mil associados entre micro, pequenas, médias e grandes empresas. Um das marcas da sua gestão é a defesa das causas do setor empresarial em todos os níveis de governo, sempre destacando a independência da entidade que preside.

Geara também é vice-presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e diretor do grupo empresarial Florença, dentre outros.  

Foi secretário de Estado da Fazenda do Paraná e presidente do Conselho Deliberativo do Clube Atlético Paranaense.

 

General Aléssio Oliveira 
Das missões de paz no Haiti ao comando do Exército em Curitiba

O general de Brigada Aléssio Oliveira da Silva, comandante da 5ª Região Militar, sediada em Curitiba, começou a carreira militar na Academia Militar das Agulhas Negras, em 1986. Nasceu em Salvador (BA), e serviu nas organizações militares no 4º Grupo de Artilharia de Campanha (Juiz de Fora-MG) de 1987 a 1991, como oficial subalterno; no 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, (Curitiba), de 1995 a 1997, como capitão aperfeiçoado; e comandou o 7º Grupo de Artilharia de Campanha, em (Olinda-PE), no biênio 2008-2009.

Além de atuar em vários estados brasileiros, o General Aléssio também participou de ações no exterior, como a da Missão de Paz da ONU em Chipre, em 1996, como integrante da Seção de Operações da Força Tarefa Argentina; dois anos em Madri, Espanha, entre 2005 e 2007, realizando o Curso de Estado-Maior de Defesa e como instrutor do Departamento de Estratégia e Relações Internacionais da Escola de Estudos Superiores da Defesa Nacional; e, mais recentemente, como integrante do Estado-Maior do Batalhão de Força de Paz 20º Contingente Brasileiro no Haiti.

Por conta da sua extensa folha de serviços prestados ao Exército Brasileiro e ao Brasil, o general recebeu várias condecorações, dentre as quais se destacam a Medalha da Ordem do Mérito Militar – Grau Comendador, a Medalha Militar de Ouro, a Medalha do Pacificador, a Ordem do Mérito Naval – Grão Mestre, a Medalha Mérito Tamandaré, O Legendário e a Medalha das Nações Unidas – UNFICYP e MINUSTAH, entre outras. Em Abril de 2018 foi agraciado com o Título de Cidadão Honorário de Curitiba.

 

João Carlos Baracho
O médico que cuida de cada um, inspira e expande a saúde pública

Especialista em Saúde Pública, Medicina Interna, Geriatria e Gerontologia, João Carlos Baracho é daqueles médicos que exercem a medicina não apenas como profissão, mas como missão de vida, quase como um sacerdócio. Inspirador por natureza, cuida das pessoas, não importando a posição social que elas ocupem.

Teve papel preponderante na construção do Sistema Único de Saúde (SUS) em Curitiba, onde já foi duas vezes secretário municipal da Saúde de Curitiba, além de ter atuado como assessor de Planejamento, chefe da Divisão de Assistência Hospitalar e Ambulatorial, diretor do Departamento de Planejamento em Saúde e diretor do Departamento de Assistência Secundária à Saúde na Secretaria Municipal da Saúde.

Numa vida dedicada ao setor, já foi diretor de Saúde Comunitária, vice-presidente (2005 – 2010) e presidente (2011 – 2016) da Associação Médica do Paraná (AMP); professor na Universidade Federal do Paraná; presidente do Conselho Municipal da Saúde de Curitiba (1995-1998); presidente do Conselho Regional de Secretários Municipais de Saúde da Região Metropolitana de Curitiba (1996-1998), presidente de Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Paraná (1997-1998) e vice-presidente do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (1997-1998).

Experiências profissionais e de vida que resultaram em três livros: “Paixão não tem idade – Sentimentos do Envelhecer”, “Eu só queria ser feliz” e “Antes que seja tarde”.

 

João Vítola 
Cientista curitibano no topo da produção científica mundial do coração

João Vicente Vítola é médico e cientista da área de Cardiologia nascido em Curitiba. Formado em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1991, fez formação em Clínica Geral, Cardiologia e Medicina Nuclear nos Estados Unidos pela Vanderbilt University e é doutor em Cardiologia pelo Instituto do Coração (Incor) da Universidade de São Paulo. É licenciado para o exercício da Medicina no Brasil e nos Estados Unidos.

Em 1996, pelos seus trabalhos desenvolvidos na Vanderbilt University, na aplicação clínica da tomografia por emissão de pósitrons, recebeu nos Estados Unidos (Radiological Society of North America) o prêmio “Roentgen Research Award”, que leva o nome do descobridor do raio-X.

É autor de múltiplos artigos e trabalhos científicos publicados especialmente nos Estados Unidos, Europa e Japão.

Desde 2007 tem sido consultor da Agência Internacional de Energia Atômica das Nações Unidas para o assunto de Cardiologia Nuclear. Em 2016, recebeu o título de vulto emérito da cidade de Curitiba por serviços prestados à comunidade. Em 2017, recebeu o título MASNC (Master of the American Society of Nuclear Cardiology), a maior honraria da Sociedade Americana de Cardiologia Nuclear, pelo seu trabalho dedicado ao desenvolvimento da Cardiologia Nuclear no mundo.

É presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia, e diretor geral da Quanta Diagnóstico e Terapia em Curitiba, desde 2003.


 

Juliano Santos 
O criador do robô que leva saúde aos olhos de todos

Natural de Porto Alegre (RS), Juliano de Morais Santos, 40 anos, tem formação em técnico em óptica e, durante os 20 anos de carreira, percebeu que a porcentagem de pessoas que têm acesso a oftalmologistas é muito baixa no Brasil.

Criativo, Juliano foi ao Vale do Pinhão, o ecossistema de inovação que está sendo implantado em Curitiba, criou a startup Prevention e desenvolveu o Adam Robô, equipamento que usa a inteligência artificial para identificar, em no máximo cinco minutos, problemas oftalmológicos como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia (vista cansada).

Num curto período, o equipamento se tornou um sucesso:  foi finalista da Imagine Cup 2018 da Microsoft, a maior competição internacional de inovação; e recebeu aporte financeiro de investidores que participam do reality show Shark Tank Brasil.

A população já pode ver de perto o Adam Robô, que ao longo de 2017 e 2018 esteve nos Mutirões da Cidadania promovidos pela Prefeitura nas dez regionais da cidade.


 

Manu Buffara 
Estrela em ascensão que projeta a cidade na gastronomia nacional

Nascida em Maringá (PR), a chef de cozinha Manu Buffara, 34 anos, viajou o mundo e trabalhou com cozinheiros renomados como o dinamarquês René Redzepi (do Noma) e Grant Achatz (do Alinea, nos Estados Unidos).

Em 2011, abriu o Restaurante Manu, em Curitiba, onde coloca diariamente sua alma e coração na chamada cozinha autoral, usando muitos ingredientes tradicionais do Paraná. Manu se projetou: hoje é considerada uma estrela em ascensão no mundo gastronômico brasileiro.

Formada em jornalismo, só este ano já participou do festival The Taste of London e foi uma das três representantes brasileiras no lançamento do World Restaurant Awards, em Paris, tendo ainda cozinhado com chefs pesos pesados, como Maksut Askar (em Istambul) e Virgilio Martinez (em Lima).

Manu coleciona vários prêmios nacionais. Em março do ano passado, a mãe de Maria (de 2 anos) e Helena (de 3) aceitou o convite do prefeito Rafael Greca para participar do Horta do Chef,  programa da Prefeitura que incentiva agricultores urbanos a venderem parte de sua produção a restaurantes da capital. Participam 188 famílias do Tatuquara e de Campo de Santana, que recebem dicas mais do que especiais de Manu Buffara, uma chef que conhece como poucas os segredos da culinária e como valorizar o que é bom.

 

Maçaru Koga 
53 anos de trabalho que engrandece dia a dia as feiras da capital

Em Curitiba, um dos pontos mais tradicionais nas feiras livres da Prefeitura é o Koga Pescado, que há mais de 45 anos marca presença nos pontos diurnos, de terça a domingo pela manhã.

A trajetória da família Koga como feirantes, contudo, remonta a um período ainda mais distante. Tudo começou há 70 anos, quando o curitibano Maçaru Koga, 83 anos, acompanhava o pai nas viagens diárias da chácara da viúva Carolina Greca, no Ahú, até a “distante” Praça Tiradentes, onde eles vendiam verduras e legumes.

Em 1965, ao mesmo tempo em que inaugurou sua peixaria, Maçaru também montou sua banca de pescados nas férias. Quatorze anos depois, trocou a barraquinha pelo trailer, numa mudança até então inédita. Tudo sempre com o apoio da esposa, Eloísa, 78 anos. Hoje quem cuida do negócio é Sergio Koga, filho de Seu Maçaru, que mesmo oficialmente aposentado, nunca pendurou o jaleco nos últimos 53 anos e segue trabalhando ao lado da esposa, do filho, da neta, Heloíse; do neto, Matheus e da nora, Cássia. 

Ele é o mais antigo feirante em atividade na cidade.


 

Nancy Westphalen Corrêa
Pioneirismo em uma vida dedicada ao conhecimento

Nancy Westphalen Corrêa nasceu na Lapa (PR) em 5 de abril de 1930 e foi uma pioneira.

Primeira bibliotecária a comandar, em 1968, a Biblioteca Pública do Paraná (BPP), uma das maiores bibliotecas públicas do Brasil, cujo acervo reúne 630 mil livros, periódicos, fotografias, mapas, cartazes e materiais de multimeios e multimídia.

A instituição foi criada pelo vice-presidente da província José Antônio Vaz de Carvalhares, em 7 de março de 1857, no Lyceu de Coritiba. Formada em Biblioteconomia e Documentação, Nancy lecionou na Universidade Federal do Paraná durante trinta anos. Foi diretora da Associação Protetora do Recém Nascido e da Associação das Senhoras Espíritas, na FEP, além de colaborar na Caixa do Tuberculoso Pobre. Atualmente, participa do Centro Espírita Abibe Isfer (CEAI).

Foi também a primeira diretora-administrativa do CEAI, tendo dedicado seus esforços na reforma do prédio da Alameda Cabral que a abriga a instituição. Na gestão 2012-2013 e 2014-2015, foi designada para compor a diretoria do Departamento de Orientação ao Serviço Social Espírita da FEP, como membro colaborador.

 

 

Nini Policappelli 
O grande colorista que escolheu Curitiba como lar de sua arte

Artista múltiplo, Nini Policappelli nasceu em Triggiano, província da Puglia, na Itália. Desenhista, pintor, escultor, designer gráfico e de moda, arquiteto, cientista e inventor, Policappelli expôs sua arte pela primeira vez no Brasil, na cidade onde criou raízes e escolheu, há dez anos, para viver: Curitiba.

A mostra “Policcappelli apresenta” fez parte das comemorações de 325 anos da cidade, completados este ano.
Desenhista desde criança, Policappelli teve na adolescência aulas com Giovanni Rossani, a quem considera seu grande educador, e que iniciou o artista nas técnicas da pintura a óleo.

Para especialistas em arte, Nini é um “grande colorista”, dono de um traço característico, que faz muito sucesso no exterior.

Saído da Itália, passou nove anos viajando pelo mundo em busca de aventuras e se estabeleceu em Los Angeles, Califórnia, onde trabalhou com desenho arquitetônico e design. Como arquiteto, são muitos os projetos de residências de celebridades assinados por ele.

O artista criou sua própria galeria de arte comercializando, ele mesmo, suas obras.
Em sua casa, que ele mesmo projetou, quadros, esculturas e objetos se espalham pelos amplos espaços, a maior parte de sua autoria.

Aos 73 anos, continua produzindo suas obras que ilustram residências e galerias de vários países.

 

 

Nelson Hübner 
Liderança empresarial a serviço do Paraná

Natural de Canoinhas (SC), Nelson Hübner escolheu o Paraná para construir sua história pessoal e empresarial.

Foi aluno do Senai, onde estudou Mecânica Geral e Ferramentaria. Formou-se em Mecânica pelo antigo Cefet. Na década de 70 trabalhou em várias empresas do setor metalmecânico e, a partir de 1980, tornou-se empresário do setor, quando fundou, com o irmão, a Mecânica Hübner Ltda, em Curitiba.

O início aconteceu em pequeno barracão na Vila São Pedro. Hoje o grupo Hübner é composto por indústrias do setor metalmecânico com fábricas em Araucária, Ponta Grossa e Blumenau (SC) e uma unidade na Argentina. O grupo conta com 750 funcionários e exporta para mais de 30 países.

Nelson Hübner é também presidente da Associação das Empresas da Cidade Industrial de Curitiba (Aecic), e é conhecido por defender o entendimento entre empresas e trabalhadores em prol de disciplina, cooperação, trabalho e da constante busca por novas realizações.

 

Olivar Coneglian 
Referência premiada em direito eleitoral

Olivar Coneglian é natural de Lençóis Paulista e criou-se em Bauru (SP). Mas logo transferiu residência para o Paraná e fixou residência em Curitiba.

A paixão pelo Direito vem desde tenra idade e tanta dedicação lhe rendeu uma série de títulos na carreira. Mestre pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), fez carreira no Paraná como professor, advogado e juiz de Direito.

Foi diretor da Associação dos Magistrados Brasileiros e da Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar), além de ser membro fundador do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral (Ibrade).

É autor de livros que se transformaram em referência no Direito Eleitoral, como “Eleições – Radiografia da Lei 9.504”; “Inelegibilidade – Inelegibilidade e Proporcionalidade – Inelegibilidade e Abuso de Poder”; “O Candidato é o Presidente – O Presidente é Candidato”; “A Propaganda Eleitoral”; além de “A Raiz do Desespero e Outras Histórias” e de um livro de poesia (“Poemas de Cristal”), todos pela Juruá Editora.

Casado com a advogada Ruth Maria Roberti Coneglian, é pai de três filhos: Fabíola Roberti Coneglian, advogada; Olivar Augusto Roberti Coneglian, juiz de Direito; e Fabiana Roberti Coneglian, cirurgiã dentista.

Pela trajetória da sua vida recebeu vários prêmios, entre eles a Comenda do Mérito Judiciário Eleitoral do TRE do Pará e do Distrito Federal e Cidadão honorário de Umuarama, Medianeira e Cidadão Ilustre da cidade de Santa Mariana/PR.

 

Padre Renaldo 
Uma vida a serviço de quem mais precisa

Missionário em diversas ações da Congregação São Luís Orione desde 1988, Padre Renaldo Amauri Lopes é diretor-presidente do Pequeno Cotolengo do Paraná, instituição que atualmente cuida de cerca de 200 pessoas com deficiências múltiplas (físicas ou intelectuais) de todas as idades e regiões do estado.

Esse trabalho ganha ainda mais destaque na medida em que se trata de pessoas abandonadas por suas famílias, que sofreram maus-tratos ou que viviam em situação de risco social.

De família pobre, Padre Renaldo foi jardineiro, catador de frutos do mar e vendedor de picolé antes de ingressar no seminário, aos 18 anos, quando passou a dedicar sua vida aos mais pobres.

Já fez trabalho social no Uruguai, em Cabo Verde e em uma comunidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, locais onde a vulnerabilidade das pessoas se agrava pela presença do tráfico de drogas.

Sua ligação com o Paraná remonta 28 anos no tempo. Estudou em Quatro Barras e cursou Filosofia na Pontifícia Universidade Católica (PUC). Em 2001, foi transferido para a igreja do bairro Santa Quitéria, na capital, onde passou sete anos. Em 2015, quando voltou de Dourados, passou a trabalhar no Pequeno Cotolengo, contribuindo de maneira decisiva para a qualidade de vida de quem mais precisa de auxílio.

 

 

Pastor Paschoal Piragibe 
O líder Batista que criou raízes na capital

O pastor Paschoal Piragine Júnior é paulistano e tem 59 anos. Em 1988, chegou a Curitiba, onde criou profundas raízes e venceu desafios, como a finalização da construção da sede da 1ª Primeira Igreja Batista de Curitiba (PIB), na Avenida do Batel, icônico templo inaugurado em 2014, ano do centenário da instituição.

Paschoal é bacharel em Teologia, com doutorado em Missiologia, doutor em Ministérios pela Faculdade Teológica Sul Americana de Londrina e autor de vários livros: "Orações que Deus gostaria de ouvir", "Doenças da Família Moderna" e "A Alegria do Perdão", "Os Encontros com Jesus", entre outros títulos.

Seu livro “Crescimento Integral da Igreja”, de 2006, foi vencedor do prêmio Aretê, maior reconhecimento do mercado editorial do segmento de publicações de desenvolvimento cultural e propagação do Evangelho no Brasil.

Casado com Cleusa Ferreira Piragine, tem um casal de filhos: Michel, pastor da juventude, casado com Silvana Dominguez, e Kelly, Bacharel em Teologia, casada com o pastor Leandro Sonda, líder do Ministério de Adolescentes.

Exerceu vários cargos na denominação Batista, dentre eles: presidente da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil (2003-2004) e presidente da Convenção Batista Brasileira em 2006. É presidente da Associação Brasileira de Ação Social (ABASC), entidade responsável pelas atividades humanitárias praticadas pela igreja.

 

Pedro Joanir Zonta 
Contribuição para o desenvolvimento da capital

Da pequena loja, aberta há 44 anos, o empresário curitibano Pedro Joanir Zonta construiu uma trajetória de sucesso e de amor pela cidade de Curitiba.  Neto de imigrantes italianos, Zonta fundou o Condor Super Center no ano de 1974, em uma pequena loja de 110 m² e cinco funcionários, no bairro Pinheirinho, em Curitiba. Hoje, conta com mais de 12 mil colaboradores diretos e atende mensalmente mais de 4 milhões de clientes, contribuindo para o desenvolvimento econômico da capital

Boa parte desse resultado veio da modernização da rede, no fim da década de 1990, quando Zonta investiu pesado para concorrer com grandes redes varejistas estrangeiras que chegavam ao mercado curitibano. A opção foi modernizar as lojas, informatizar a empresa e adotar práticas inovadoras de gestão e marketing para se tornar a marca de supermercados dos curitibanos. A decisão foi acertada. Consolidada, a rede possui atualmente 46 lojas, entre super e hipermercados, em 16 cidades do Paraná e duas lojas em Santa Catarina.

A grande atuação empresarial se reverte em ações sociais para a capital. Zonta é um dos grandes parceiros da Fundação de Ação Social (FAS) na oferta de cursos de qualificação profissional para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social atendidas nas unidades do órgão. Atualmente desenha com a FAS novas parcerias que ampliarão a oferta de oportunidades que possam garantir um futuro melhor para o público da assistência social.

O empresário já recebeu diversas condecorações, entre elas a Ordem do Pinheiro, do governo do Estado e a comenda “Ordem do Mérito do Comércio do Paraná”, pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR).

 

Regina Casillo 
A Senhora Solar do Rosário, semeadora de arte e cultura

Semeadora da arte e da cultura da nossa gente, Regina de Barros Correia Casillo acolhe, conserva e incentiva a nossa história retratada em telas e arte para a eternidade. Nascida no Rio de Janeiro, em 1945,  a marchande e animadora cultural veio para Curitiba  em 1971.

Regina é mestre em Direito Empresarial pela FGV/RJ e foi professora de Direito Romano na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR).

Conhecida como a Senhora do Solar do Rosário,  sua biografia confunde-se com a Casa Rosa do Centro Histórico de Curitiba. Foi Regina Casillo quem,  em 1989, iniciou e gerenciou pessoalmente as obras de reforma, recuperação e restauro do Solar do Rosário. 

Em 1992, as portas se abriram para a Associação Cultural Solar do Rosário. No local, criou, com as professoras Maria Cecília Noronha e Maria José Justino, os cursos de História da Arte e Arte Contemporânea.

Paralelamente, de 1992 a 1994 integrou, como membro titular, o Conselho Estadual de Cultura. Em 1998 foi responsável pela montagem, curadoria, exposição e monitoria das artes plásticas no estande do Paraná da Feira Internacional de Rouen/França.

Sua dedicação a arte e cultura fez de Regina Casillo Cidadã Honorária de Curitiba, título concedido pela Câmara Municipal, em 1997. No mesmo ano foi Destaque Empresarial Mulher pela Associação Comercial do Paraná. Regina também foi premiada com o título Mulher Pioneira na Cultura, pelo Conselho Estadual da Condição Feminina.

Regina Casillo segue à frente do Solar do Rosário, administrando uma movimentada agenda com: exposições de arte, lançamentos de livros, além de diversos cursos de História da Arte, Música, Literatura, oficinas, ateliers, workshops e promoção de viagens culturais. Com incentivos obtidos por meio da Lei Rouanet lançou o Projeto Pintores Contemporâneos do Paraná, com publicação de pelo menos um livro por ano, em que os artistas selecionados são apresentados com textos de críticos locais.

Sempre de olho na expansão da cultura, Regina idealizou os ônibus-palco e ônibus-museu, programas da prefeitura que levam cultura e arte para os diversos cantos da cidade.

 

Ricardo Cons 
A força econômica que ajuda a qualificação de jovens em vulnerabilidade

Como presidente da Electrolux para a América Latina, Ricardo Cons é um dos principais executivos do país. Preparou-se muito para o cargo: graduou-se em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), fez pós-graduação em Gestão de Equipes (Team Management) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e especialização em Gestão Avançada pela Ashridge Executive e pela prestigiosa Duke University, nos Estados Unidos.

Após comprar a antiga Prosdócimo, a empresa que está presente em mais de 150 países mantém na capital um centro de operações para toda América Latina, gerando mais de 4 mil empregos diretos e indiretos na capital.

Cons colocou essa força econômica ao lado dos que promovem melhoria para toda sociedade por meio de ações sociais. Desde 2017, a Electrolux do Brasil tem sido um dos grandes parceiros da Fundação de Ação Social (FAS) na área de qualificação profissional, principalmente para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social.

Ao lado da FAS, a empresa é responsável por dois cursos: de gastronomia e de reparador de eletrodomésticos, que juntos já ofereceram 180 vagas de formação, abrindo novos caminhos e oportunidade àqueles que enfrentam dificuldades, mas querem crescer na vida.

 

Rodolfo Doubek Filho 
O arquiteto que bolou o Tanguá e espalhou residências pelo mundo

O curitibano Rodolfo Doubek Filho é arquiteto, urbanista e paisagista, graduado pela primeira turma de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná. Com mais de 40 anos de atuação, imprimiu um estilo presente em vários espaços do Paraná, do Brasil e do mundo.

Em Curitiba, é responsável pela concepção de um dos espaços mais visitados pelos turistas, o Parque Tanguá, e da Fonte da Memória, no Largo da Ordem, onde foi implantada escultura de Ricardo Todd, artista residente do Louvre morto em 2005. A obra eternizou a lembrança de todos os animais que um dia beberam a água revitalizadora no bebedouro do ponto histórico do desenvolvimento da capital.

Marco da cidade, o Tanguá possui um mirante a 65m de altura, cascata e um grande jardim em estilo francês com canteiros de flores e espelhos d’água de onde projeta-se o belvedere, na forma de terraço elevado em meio a um tapete verde.

Ao lado do engenheiro e urbanista Rafael Greca, Doubek criou o espelho d'água do local, conferindo uma beleza exuberante a um dos cartões postais da capital.

Ao longo de uma carreira de sucesso, desenvolveu projetos no Brasil, EUA e Peru – entre condomínios, coberturas, escolas, igrejas, hotéis, parques, escritórios, indústrias, pavilhões de exposição, restaurações com reciclagem de uso, além de decoração de interiores.

Sua atuação rendeu um verbete no  livro “Earth Sheltered Houses – na Annotated Bibliography, 1950-1985”, editado nos EUA por Pauline A. Keehn, e também em “Arquitetos do Brasil”, editado em 1995 pela Salamandra, no Rio de Janeiro.

Coleciona prêmios, destaques e indicações, no Brasil no exterior. Teve forte influencia do pai, o desenhista, pintor, litógrafo, Ilustrador, cartógrafo e colecionador Rodolpho Doubek, e da mãe da mãe Érica Guilhermina Urban, conhecida como Dona Pequena – também figuras marcantes de Curitiba.

 

Samuel Ferrari Lago
O produtor que resgatou João Turin e divulga Curitiba até em Moçambique

Nascido em Curitiba, Samuel Ferrari Lago é filho do casal Samuel Ramos Lago e Margot Ferrari Lago. Administrador de empresas, produtor cultural e radialista, integra o Conselho de Administração do Grupo Positivo.

Liderou, em nome da família, a iniciativa de recuperação do acervo do escultor paranaense João Turin, que resultou na mostra "João Turin - Vida, Obra, Arte", a mais visitada de 2014 no Museu Oscar Niemeyer, com público de 266 mil pessoas. A exposição do principal escultor animalista brasileiro foi levada também para o Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e à Pinacoteca, em São Paulo. A mostra foi premiada pela Associação Brasileira de Críticos de Arte como "melhor exposição de 2014".

Há 20 anos, Samuel Lago dirige, produz, pesquisa e apresenta o Rádiocaos ao lado de Rodrigo Barros, programa de literatura  e música que é transmitido para dez rádios espalhadas pelo mundo, divulgando a cultura curitibana e paranaense em lugares como Rio de Janeiro, Recife, Canoinhas, Paris (França), Lisboa (Portgual) e Maputo (Moçambique), além de Curitiba.

Dedicado incentivador da arte, é diretor-fundador do Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná (IAOSP), criado em 2016 por entusiastas da arte e cultura paranaenses.

Foi homenageado com o Prêmio Cidade de Curitiba da Câmara Municipal em 2015.

Samuel Ferrari Lago é casado e tem dois filhos nascidos em Curitiba.

 

Sergio Balaguer
Liderança na Câmara Municipal em prol do desenvolvimento da cidade

Sergio Renato Bueno Balaguer, ou o Serginho do Posto, como é mais conhecido, tem 51 anos e cumpre seu quarto mandato como vereador de Curitiba. Nascido em Pérola (PR), no exercício do mandato parlamentar foi segundo e terceiro secretário da Câmara Municipal, na última legislatura. Em 2016, conquistou a maior votação do legislativo curitibano, condição que o alçou ao cargo atual de presidente da Câmara Municipal.

Na atual legislatura liderou a Casa durante a aprovação do Plano de Recuperação de Curitiba em 2017, peça chave para o equilíbrio das contas da cidade. Também é autor do projeto que determina a cassação do alvará de funcionamento de estabelecimentos que, comprovadamente, adulterem ou vendam combustível em desacordo com as especificações do órgão regulador nacional.

O parlamentar começou a trabalhar cedo: aos 13 anos de idade, teve seu primeiro emprego com carteira assinada. Depois de se mudar com a família para Curitiba, trabalhou como auxiliar de escritório e foi vendedor e gerente de uma loja de materiais de construção. Depois, se tornou gerente em um posto de combustíveis do bairro Cajuru. O trato amigável com os clientes e fornecedores acabou lhe rendendo o apelido de Serginho do Posto.

O vereador é graduado em Tecnologia do Empreendimento e dedicou grande parte de sua vida profissional ao comércio.

 

Shogun 
Lenda mundial do MMA, ídolo no Parque Barreirinha

Mauricio Milani Rua, o Shogun, nasceu em Curitiba no dia 25 de novembro de 1981 e se tornou uma das maiores lendas da história do Mixed Martial Arts (MMA, as artes marciais mistas), modalidade em que compete desde 2002.

Considerado pela crítica especializada como um dos mais habilidosos lutadores da categoria meio-pesado, é o único atleta em atividade que foi campeão do Pride e do UFC, os dois maiores eventos mundiais do esporte que reúne milhões de admiradores espalhados por vários países.

Faixa preta de muai thay e jiu jitsu, o campeoníssimo curitibano já foi eleito lutador do ano (2005), já fez o que foram consideradas as lutas do ano em 2005 e 2011, além de ter desferido o nocaute do ano (em 2010).

Todo o desempenho internacional de um atleta do mais alto nível profissional se reverte em benefícios diretos para as crianças carentes de Curitiba, que aprendem artes marciais em um programa social idealizado por Shogun no Parque da Barreirinha.

 

Vitor Rodrigues 
O maestro criador de fanfarras

Vitor Rodrigues é professor e maestro da Banda do Caximba. Nascido em 1º de setembro de 1982, em Araraquara (SP), Vitor iniciou seus estudos musicais e artísticos no interior de São Paulo, em municípios da região de Matão, onde atuou em diversos grupos de teatro. Em 2008 mudou-se para Curitiba para continuar os estudos e seguir carreira profissional em música.

É professor de Artes no Colégio Estadual Profª Maria Gai Grendel (conhecido como Famag) e também é maestro da Banda Musical do Caximba e do Coral Maria Gai. Assumiu em 2013 o Projeto Fanfarra nas Escolas no Município de Pinhais, criando 21 fanfarras em escolas do município. Em Curitiba, atua como Maestro da Fanfarra da Escola Municipal Joana Raksa, no Caximba.

A Banda do Caximba representa um incentivo especial aos estudantes do bairro localizado no extremo sul da capital. Muitos deles são carentes e têm na música um incentivo a mais para participar da vida escolar.

A banda apresenta-se em eventos oficiais do Estado e em festivais pelo Paraná. Formada por 40 integrantes com idade superior a 11 anos, as atividades tiveram início pelas mãos do maestro Vitor Rodrigues. A Banda tem alcançado grande reconhecimento no estado, prova disso são as apresentações em várias cidades, como União da Vitória, Luiziana, Campo Mourão, Praia de Leste, além de Curitiba.

DESTAQUES DOS EDITORES