Gremistas creditam bom segundo tempo a Renato Gaúcho e comemoram empate

Após um primeiro tempo ruim, o Grêmio deu a volta por cima na etapa final, chegou a envolver o time do Palmeiras e buscou o empate por 1 a 1, nesta sexta-feira, no Allianz Parque, pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na saída do campo, os jogadores creditaram o resultado ao técnico Renato Gaúcho e admitiram dificuldade de jogar em um campo sintético.

"Primeira vez que a gente joga no campo, sentimos muito o primeiro tempo. Eles (Palmeiras) sabem como se joga no sintético. Realmente é diferente, é outra velocidade de bola, outro domínio. No intervalo, o Renato inteligentemente fez essa bola não entrar. Quando a gente bloqueou, tivemos sucesso e no segundo tempo criamos, poderíamos ter vencido. Se virássemos, seria normal", disse Diego Souza.

O atacante por muito pouco não se transformou no herói da partida. No último lance do jogo, Diego Souza cobrou falta com perfeição e viu o goleiro Weverton fazer um milagre para evitar o que seria o gol da vitória da equipe gaúcha. O lateral Victor Ferraz enalteceu a atuação do arqueiro alviverde.

"Foi mais um encaixe tático. O Palmeiras sempre estava achando um homem livre, conseguindo uma superioridade numérica e chegar bem no ataque. O Renato leu bem, ajeitou o time no intervalo, mudou nosso posicionamento e começamos a ganhar tempo. No segundo tempo, a superioridade numérica foi nossa. Criamos e poderíamos ter ganho. O Weverton é um goleiro da seleção brasileira e fez uma grande defesa no final", falou.

O resultado manteve a invencibilidade do Grêmio no segundo turno e faz com que o time de Renato Gaúcho continue disputando o título do Campeonato Brasileiro, além de colocar uma "pulga atrás da orelha" do rival em relação às finais da Copa do Brasil, devido à boa atuação da etapa complementar.

O Grêmio terminou a noite na quarta colocação, com 50 pontos, seis a menos do que o líder São Paulo, que entrará em campo apenas no domingo para encarar o Athletico, na Arena da Baixada.