Publicidade
Estudos

Grupo de estudos em escola melhora notas

Grupo de alunos no contraturno: horário para tirar dúvidas e reforçar conteúdo aprendido em sala
Grupo de alunos no contraturno: horário para tirar dúvidas e reforçar conteúdo aprendido em sala (Foto: Divulgação)

Estudar em grupo pode resultar em melhores notas do que quando se estuda sozinho. Um projeto da Escola Pedro Apóstolo de Curitiba, que propôs que alunos do 6º ao 9º ano começassem um Grupo de Estudos na própria escola, compromou isso. Os alunos que integram o projeto, se reúne após o horária das aulas.
No caso, os alunos se reuniram no período da tarde. O grupo se reúne com a supervisão da coordenadora pedagógica e trocam conhecimento. Ou seja, quem sabe mais de uma disciplina, ensina para o colega com maior dificuldade e vice versa. O resultado após seis meses foi exemplar: um aumento de 30% (em média) nas notas.
“A escola tem que agir com parte da construção do conhecimento do aluno e, portanto, a intervenção pedagógica é importante. O Grupo de Estudos surgiu de uma demanda que identificamos entre os próprios alunos e deu muito certo. Trata-se de uma ação preventiva e também de entender o aluno como ser único, suas dificuldades e limitações”, explica a diretora pedagógica da Pedro Apóstolo, Ana Cláudia Cruz.
São cerca de trinta estudantes que aderiram ao grupo de estudos. O Tobias K, do 8ª ano, por exemplo, teve um desempenho 68% maior após começar a frequentar o grupo. Ele, que havia tirado 5,8 na primeira prova de Língua Portuguesa, depois tirou 9,7. E assim como ele, existem vários casos.
“O grupo de estudo é muito bom porque reúne os amigos e promove uma troca de conhecimento. Eu gosto porque me sinto mais seguro estudando desta forma do que sozinho. Minhas notas melhoraram bastante por causa do grupo”, comenta Tobias.
A diretora pedagógica da escola ainda conta que a implementação do grupo foi muito positivo para também ajudar a mudar o hábito da maioria das crianças, que não estuda diariamente. “Com esse trabalho evitamos muito o estresse da recuperação e ainda promovemos uma atividade de empatia, em que uns apoiam os outros”, conta.
Outra medida que a Pedro Apóstolo adotou para ajudar os alunos a estudarem mais durante a permanência na escola é acrescentar na grade curricular quatro horas/aulas por mês pra resolução de exercícios. “O exercício é uma ótima maneira de fixar o conteúdo. Com esse período obrigatório de resolução durante as aulas também notamos que as dúvidas diminuem”, conta Cruz.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES