Publicidade
Flagrante

Guarda Municipal acaba com ‘rave’ clandestina em zona rural de Quatro Barras

Guarda interrompeu ‘rave’ com a participação de aproximadamente 30 pessoas
Guarda interrompeu ‘rave’ com a participação de aproximadamente 30 pessoas (Foto: divulgação)

A Guarda Municipal de Quatro Barras (região metropolitana de Curitiba), interrompeu uma possivel festa ‘rave’ com a participação de aproximadamente 30 pessoas com som alto e drogas, desrespeitando as medidas de isolamento social, na noite de ontem. A pessoa responsável pelo aluguel do local para o evento foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil, onde deve responder pelo tráfico de drogas, crime contra saúde pública, perturbação do sossego, entre outros.

O proprietário do imóvel relatou os agentes da Guarda que a locação era para nove pessoas, já incluso crianças, conforme contrato das partes. A corporação reafirou que segue em vigência o decreto da prefeitura local que determina a suspensão total das atividades não essenciais com bloqueio total (lockdown), nas localidades da área rural. A desobediência está sujeita a multa.

Precedente - No último dia 11, o Bem Paraná noticiou que a Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde (Decrisa) iniciou investigações sobre as festas clandestinas realizadas em Curitiba e região durante a quarentena e a suspensão das atividades das casas noturnas, conforme decreto do governo do Estado. O pedido de investigação foi feito pelo próprio governador Ratinho Junior após denúncia de realização de balada clandestina em casa de eventos no bairro Campo Comprido Curitiba, na última sexta, publicada em primeira mão no portal Bem Paraná. Segundo o secretário de Estado de Saúde, Beto Preto, os organizadores podem responder por crime contra a saúde pública.

A balada da última sexta reuniu cerca de 500 pessoas e aconteceu em uma chácara no bairro Campo Comprido, em Curitiba, com direito a DJ, muita bebida e até banho de piscina para os mais corajosos. Essas festas têm acontecido em Curitiba e cidades da Região Metropolitana, como Colombo e Piraquara, e são totalmente organizadas pelo whatsapp.

Flagrante - No último dia 17, o Bem Paraná noticiou que Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde (Decrisa), com apoio do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP), flagrou uma festa clandestina com 190 pessoas em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, na noite do dia 16, em plena pandemia de coronavírus, quando as casas noturnas estão fechadas por decreto do governo do Paraná. A balada aconteceu na chácara Holz Esportes e Eventos, no bairro São Gabriel, e teve até com show de dupla sertaneja e DJ. A operação contou com 20 policiais sob comando da delegada Aline Manzzato, da Decrisa, e do delegado Osmar Feijó, do Cope.

Doze pessoas foram presas em flagrante no local por serem organizadoras do evento e proprietárias do local. Dez menores de idade tiveram que aguardar os pais para serem liberados. Segundo a delegada Aline, os organizadores da festa irão responder por Incitaçao ao crime, Associação Criminosa e Infração de Medida Sanitária Preventiva. A pena por esses crimes pode chegar a 5 anos. 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES